sexta-feira, 16 de abril de 2010

Formosura ideal.

http://3.bp.blogspot.com/_erBnGkMTVWE/SMCYNMykj4I/AAAAAAAAAmY/fWzqN-owLxc/s400/2213_im_grande.jpg

FORMOSURA IDEAL

Essa visão que em sonho me aparece,
e que, mesmo sonhando, me resiste,
por que foge, por que desaparece,
mal eu desperto, apaixonado e triste?

Por que, branca e formosa resplandece
como uma estrela, e a torturar-me insiste,
se é certo, – oh! Dor cruel que me enlouquece! –
que ela somente no meu sonho existe?

Cheia de luz e de pureza e graça,
– alma de flor e coração de estrela –
ela, sorrindo, nos meus sonhos passa...

E sempre a mesma angústia dolorida:
branca e formosa dentro d’alma tê-la,
sem poder dar-lhe forma e dar-lhe vida!

Zeferino Brasil.


Nasceu Zeferino de Sousa Brasil em Porto Grande, município de Taquari (Rio Grande do Sul), em 24 de abril de 1870. Foi funcionário público e exerceu o jornalismo, tendo sido também romancista, teatrólogo e crítico de arte. “Sua prosa tem o mesmo fulgor e a mesma cadência de sua poesia”, assinala Manuelito de Ornelas. Faleceu em Porto Alegre, em 03 de outubro de 1942.

Depois de acentuar que Zeferino Brasil foi o maior poeta parnasiano do Sul do país, escreve Manuelito de Ornelas: “Fustigado pelo demônio interior, naquele conflito do espírito com o físico, cuja harmonia um acidente quebrara, Zeferino Brasil tem, às vezes, a frescura das vozes ingênuas, na aceitação quase beneditina das penitências da vida e, outras vezes, a revolta de um Lúcifer diante do Criador. Foi um pouco anjo; foi um pouco demônio.

Ainda estou a revê-lo, cabeleira revolta, boca imensa e rasgada, gravata preta, de tope, caída sobre o peito, apoiado em sua bengala de junco, a passar – como um irmão de Santo Antero – pela sombra acolhedora das árvores gigantes da Praça da Alfândega...

Zeferino Brasil não foi somente parnasiano; foi também simbolista (em livros tais como Visão do Ópio e, embora menos, Na Torre de Marfim), mas já como parnasiano, escreveu “Teias de Luar”, “O Sonho de Titânia” e “A Rainha de Sabá”. Seu livro mais expressivo, de dicção mais pessoal e pura, é, para nós, "Teias de Luar", que lhe concedeu um lugar apenas seu em nosso parnasianismo.

Fonte: “Poesia Parnasiana – Antologia” – Edições Melhoramentos – 1967.

11 comentários:

Chica disse...

Confesso minha ignorância:não o conhecia!Lindo poema e postagem!abração,chica

Elaine Crespo disse...

Romildo!


Amo poesia e as suas postagens não só me trazem belas poesias como também o conhecer de poetas que te confesso não conhecia!
Obrigado pelas informações tão importantes pra mim!


Um lindo fim de semana!!

Beijos,
Elaine

Valéria disse...

A leitura de um sonho de outro em um momento tão rápido.

BeijooO'

Sarah Slowaska disse...

Nossa, que coisa linda. Sente-se a aflição do sujeito lírico neste poema. Não é para menos, né? Os sonhos conseguem ser bem cruéis quando não se materializam.

Um beijo! ^^ linda sexta*

Laura disse...

Olá querido, através de seu blog, tenho constatado que o nosso Brasil é um berço para a poesia.
Abraços.

Everson Russo disse...

A formozura que nos vem em sonhos,,,certamente é a perfeição do nosso amor,,,dos nossos desejos....abraços fraternos amigo e um belo final de semana de paz...fica com Deus sempre.

mundo azul disse...

_________________________________


Que lindo soneto! Obrigada, por compartilhar conosco...Gosto muito de sonetos!


Beijos de luz...


_____________________________

REGGINA MOON disse...

Furtado,

A eterna busca imaginária pelo amor idealizado que todos nós um dia já tivemos...ou temos constantemente em nossas vidas.
O Poeta em seu delírio e angústia, descreve perfeitamente essa busca pelo etéreo, o amor dos sonhos...
Perfeito!!Como sempre!!

Um grande beijo e ótimo final de semana!

Reggina Moon

Si Arian disse...

Olá, passei para te desejar um ótimo final de semana.
Belo soneto!
Beijos, que Deus te abençoe sempre!

reltih disse...

me gustan los post de este espacio, porque son muy sobrios, maduros, coherentes, de clase!!!
un abrazo

Livinha disse...

Lindo poema desta alma
em busca de formosura tela,
alma inquieta por um querer joia rara,
mal sabia que dormia e acordava com ela...


Esgotei minhas palavras com poemas tão belos que leva pra garotada aqui da blogosfera.

Furtado, lembras da Sereia?
Creio que você já saiba ser a Pérola.
passe lá no recanto dela sempre que puder, para dar uma forcinha,
afinal ela saiu anteriormente por razão de postagens anônimas contra a pessoa dela. Creio ser inveja, pela capacidade de cativar pessoas em suas postagens.

Abraços
Livinha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...