segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Ósculos.

 

ÓSCULOS


Quando estamos na quadra da inocência,

Temos um beijo de supremo bem.

Beijo de amor, de zelo e de clemência,

- O beijo santo de MÃE.


Quando estamos na quadra florescente,

Da juventude alegre e alvoroçada.

Temos na boca, sôfrego e ardente,

- O beijo da NOIVA amada.


Quando temos o sonho realizado,

E, a vida se completa venturosa.

Temos por prêmio então glorificado,

- O beijo da terna ESPOSA.


Depois vem meigamente á nossa frente,

Qual estrela puríssima que brilha.ÓSCULOS

Ao vir da noite de límpido horizonte,

- O beijo casto da FILHA.


Por fim, sentimos confortadamente,

Quando nossa alma busca em certa noite.

Que as pálpebras nos fecha eternamente,

- O frio beijo da MORTE.


R.S. Furtado


segunda-feira, 4 de outubro de 2021

As flores do meu jardim.


AS FLORES DO MEU JARDIM

 

Sou feliz, Deus me deu Richard, meu neto,

Deu-me também seis lindas netinhas.

Bruna, Mariana, Júlia, Bianca, Monique

E Monalisa, a sua irmã. Que gracinhas!


Hoje, levanto as mãos para os céus

E agradeço ao Pai com louvor.

Pela bendita graça e pelos troféus,

Que me foram concedidos com amor.

 

Um belo cravo e seis lindas rosas,

Minhas prendas, meus amores.

Minhas dádivas maravilhosas,

Que do meu jardim são as flores.


R.S. Furtado


SALVE O DIA DAS CRIANÇAS!


Escrevi esta baboseira dedicada aos meus queridos netos que, para mim, serão sempre crianças.


segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Oferta.

   


OFERTA

Se te dedicares exclusivamente à oferta de espinhos, dificilmente tenderás ao recebimento de flores.” 

R.S. Furtado

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

Resignação.

RESIGNAÇÃO


Já não mais vejo o raiar no horizonte,

De um lindo dia de primavera radiante,

Surgindo manso, que beleza, que esplendor.

Já não mais vejo o jardim tão verdejante,

Com suas flores de odor tão deslumbrante,

Me enchendo o peito de alegria e vigor.


Já não mais vejo o rio perene e calmamente,

Com suas águas cristalinas e tão reluzentes,

Refletindo do céu os raios do luar.

Já não mais vejo os peixes de cores atraentes,

Nadando, brincando, de forma inocente,

Como se quisessem a mim, cortejar.


Já não mais vejo como antes eu via,

A beleza dos pássaros, cantando de alegria,

Enchendo-me o peito com tamanha emoção.

Já não mais vejo o pomar que existia,

Com seus belos frutos, tal qual uma magia,

Florindo e brotando em cada estação.


Já não mais vejo a relva espalhada,

No solo fértil, linda como que encantada,

Exalando seu odor gostoso e perfumado.

Já não mais vejo as palmeiras bem cuidadas,

Beirando o rio, tão belas, enfileiradas,

Tal qual um batalhão, uniforme e perfilado.


Já não mais vejo nada, porém sou feliz,

Porque nesta vida já vi tudo que quis,

Pois, pior que ser cego, é não ter coração.

Já não mais vejo nada, mas sei que existe,

A beleza da vida em meu ego persiste,

É por isso que vivo com resignação.


R.S. Furtado


segunda-feira, 23 de agosto de 2021

O doutor e o lavrador.

 

O DOUTOR E O LAVRADOR 

 

O doutor e o lavrador; na sua profissão, cada um tem o seu valor.”

 

R.S; Furtado