segunda-feira, 8 de agosto de 2022

O Sonho.

  

O SONHO


Sonhei que estávamos num belo jardim,

Verdejante e ornado com lindas flores.

Açucena, amor perfeito, crisântemo e jasmim,

Exalando fragrâncias num misto de odores.


De um lado, formosa, estava uma rosa,

E do outro, perfilado, estava um cravo.

A rosa repousava com sua graça mimosa,

O cravo implorava seu amor como um bravo.


E assim, de uma forma magna, esplendorosa,

A história de um lindo amor aconteceu.

A felicidade reinou para ambos, imperiosa,


Mas o sonho findou. O dia lentamente amanheceu.

Ao meu lado dormindo, tu eras a rosa,

Ao teu lado acordado, o cravo era eu.


R.S. Furtado. 

 

segunda-feira, 25 de julho de 2022

Dar.

DAR 

Se adquirires o hábito de dar, terás muito mais probabilidades de receber, pois DEUS estará sempre atento.” 

R.S. Furtado

segunda-feira, 11 de julho de 2022

Indiferença.


INDIFERENÇA


Não sei por que razão, não entendo,

porque insistes tanto em dizer que não.

Não vês o quanto estou sofrendo,

e tão machucado está meu coração?


Às vezes em que te procuro ver,

persistes sempre em me evitar.

Ignoras que este pobre e humilde ser,

nasceu e vive somente para te amar.


Quando na rua te vejo passar,

meu corpo treme, meu coração aperta,

louco de desejo fico a te olhar.

Na minha solidão, uma ansiedade é certa,

sem a esperança de poder te amar.


R.S. Furtado.

segunda-feira, 27 de junho de 2022

Merecimento.

 


MERECIMENTO 

Não adianta rogares a São Pedro por um lugarzinho lá em cima, se aqui em baixo não fizeres por onde comprovar o teu merecimento.”   

R.S. Furtado

segunda-feira, 13 de junho de 2022

O Arrasta-pé do Jojó de Totonha.


O ARRASTA-PÉ DO JOJÓ DE TOTONHA


Mês de junho! Todo ano neste mês,

O São João no Nordeste é animado.

Tem gente acostumado, já freguês,

É corre-corre, é turista de todo lado.


Aqui pertinho tem um famoso arraiá,

É o arrasta-pé do Jojó de Totonha.

Tem gente decente, que vai só brincar,

Mas também vai cabra sem vergonha.


Na festança, tem dança de todo jeito,

Tem forró e também tem quadrilha.

Tem tanta mulher, que o sujeito,

Nem se importa com a partilha.


Chega a hora em que a mulherada,

Queira ou não, é intimada a dar.

E, na espreita, fica a rapaziada.

Para no momento, se aproveitar.


Tem umas que dão mesmo sem querer,

Tem outras que fazem questão de dar.

Já tem umas que dão por prazer,

Enquanto outras, não querem nem pensar.


Tem aquela que reluta, mas contudo,

Sem saída, a dar ela é sempre obrigada.

Já tem umas que não dão, nem por tudo.

Já outras que insistem, e dão por nada.


Tem umas, nem ligam, dão sorrindo,

Tem outras que dão de cara fechada.

Mas logo se vê, todas estão fingindo,

Porque a vontade é dar dando risada.


No final, que se segure a rapaziada,

Cada um que controle à emoção.

Pois é chegada a hora da mulherada,

Dar à tão esperada rodada no salão.


R.S. Furtado.