domingo, 7 de fevereiro de 2010

Folha solta.

http://sol.sapo.pt/photos/arturd/images/57071/original.aspx

FOLHA SOLTA

Não me culpeis a mim de amar-vos tanto,
mas a vós mesma e à vossa formosura,
pois se vos aborrece, me tortura
ver-me cativo assim do vosso encanto.

Enfadai-vos; parece-vos que, enquanto
meu amor se lastima, vos censura;
mas sendo vós comigo áspera e dura,
que eu por mim brade aos céus não causa espanto.

Se me quereis diverso do que agora
eu sou, mudai; mudai vós mesma, pois
ido o rigor que em vosso peito mora,

a mudança será para nós dois:
e então podereis ver, minha senhora,
que eu sou quem sou por serdes vós quem sois.

Vicente de Carvalho.

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/cb/Vicente_Carvalho.jpg

Vicente Augusto de Carvalho nasceu em Santos, em 05 de abril de 1866; estudou na cidade praiana e em São Paulo, e formou-se em Direito em 1886. Republicano, foi eleito deputado provincial em 1887 e a Constituinte do Estado em 1891 e exerceu o posto de Secretário do Interior. Em 1892 voltou à advocacia, e mais tarde foi juiz em São Paulo (1908) e desembargador (1914). Pertenceu a Academia Brasileira de Letras. Faleceu em Santos, em 22 de abril de 1924.

6 comentários:

Felina Mulher disse...

Furtado que pelo poema!!
Hj, domingo, te deixo um texto em forma de beijo:


Tenha sempre presente que a pele se enruga, o cabelo embranquece, os dias convertem-se em anos...

Mas o que é importante não muda... a tua força e convicção não têm idade.

O teu espírito é como qualquer teia de aranha.

Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida.

Atrás de cada conquista, vem um novo desafio.

Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo.

Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo.

Não viva de fotografias amareladas...

Continue, quando todos esperam que desista.

Não deixe que enferruje o ferro que existe em você.

Faça com que, em vez de pena, tenham respeito por você.

Quando não conseguir correr através dos anos, trote.

Quando não conseguir trotar, caminhe.

Quando não conseguir caminhar, use uma bengala.

Mas nunca, nunca se detenha!


Madre Teresa de Calcutá

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Rosemildo
Realmente não amamos pelos que somos e sim pelo que a pessoa amada é.
Grande abraço

Sonhadora disse...

Meu amigo
Que belo poema...adorei ler.
Um resto de bom Domingo

beijinhos
Sonhadora

REGGINA MOON disse...

Furtado,

Esse Poema de Vicente de Carvalho era o que queria ler hoje...lindo!!

Um grande beijo, ótimo Domingo!!

Voltarei em breve, apenas uns dias de descanso...volto depois do Carvanal.

Reggina Moon

Anne Lieri disse...

Que soneto de amor perfeito!Muito lindo!Uma merecida homenagem!Abraços,

Lou Witt disse...

Querido amigo, sempre nos agraciando com poetas imortais.

Obrigada!!!

Grande beijoooo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...