domingo, 22 de maio de 2011

Biografia.




BIOGRAFIA

O poema vai nascendo
num passo que desafia:
numa hora eu já o levo,
outra vez ele me guia.

O poema vai nascendo,
mas seu corpo é prematuro,
letra lenta que incendeia
com a carícia de um murro.

O poema vai nascendo
sem mão ou mãe que o sustente,
e perverso me contradiz
insuportavelmente.

Jorro que engole e segura
o pedaço duro do grito,
o poema vai nascendo,
pombo de pluma e granito.

Antonio Carlos Secchin

Sétimo ocupante da Cadeira nº 19, eleito em 3 de junho de 2004, na sucessão de Marcos Almir Madeira e recebido em 6 de agosto de 2004 pelo acadêmico Ivan Junqueira.

Antonio Carlos Secchin nasceu no Rio de Janeiro em 10 de junho de 1952. Filho de Sives Secchin e de Victoria Regia Fuzeira Secchin. Até os 6 anos morou em Cachoeiro de Itapemirim. Desde 1959 reside no Rio de Janeiro. É Doutor em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1982). Professor de Literatura Brasileira das Universidades de Bordeaux, (1975-1979), Roma (1985), Rennes (1991), Mérida (1999),Nápoles (2007), Paris Sorbonne (2009) e da Faculdade de Letras da UFRJ, onde foi aprovado (1993), por unanimidade, com nota máxima, em concurso público para professor titular.

PRÊMIOS LITERÁRIOS

Total de 15 prêmios nacionais, destacando-se: 1.o lugar, categoria “ensaio”, do Instituto Nacional do Livro (1983); Prêmio Sílvio Romero, da Academia Brasileira de Letras, 1985, ambos para João Cabral: a Poesia do Menos; Prêmio Alphonsus de Guimaraens, da Fundação Biblioteca Nacional (2002); Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras (2003); Prêmio Nacional do PEN Clube do Brasil (2003), atribuídos a Todos os Ventos como melhor livro de poesia.

DISTINÇÕES

Membro titular de PEN Clube do Brasil, eleito em 1995:
Medalha Cruz e Sousa, do Governo de Santa Catarina (1998);
Medalha João Ribeiro, da União Brasileira de Escritores (1999);
Medalha Carlos Drummond de Andrade, da União Brasileira de Escritores (2002);
Membro Honorário da Academia Cachoeirense de Letras, Cachoeiro de Itapemirim (2004);
Medalha do Mérito da Imprensa de Pernambuco, da Associação da Imprensa de Pernambuco (2005);
Benemérito do Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro (2008);
Medalha Jorge Amado, no Jubileu de Ouro da União Brasileira de Escritores-RJ (2008).
Membro Correspondente da Academia de Letras da Bahia (2009).
Na ABL foi eleito Diretor Tesoureiro (8.12.2005) para a Diretoria de 2006 e nomeado Diretor da Comissão de Publicações (sessão de 4.5.2006).
Dilploma de Mérito Cultural da Academia Brasileira de Filologia (2011).

Fonte: Academia Brasileira de Letras.

13 comentários:

Evanir disse...

Querido Amigo..
Terminada a postagem agora .
Obrigada pelo carinho e ajuda para mim fazer aquilo que algum tempo desejava fazer.
E você é o primeiro nome da minha postagem.
fica com Deus feliz Domingo.
Evanir.

REGGINA MOON disse...

Furtado,

Linda a forma que o poeta se expressa para descrever o nascimento de um poema, adorei!!


O poema vai nascendo
sem mão ou mãe que o sustente,
e perverso me contradiz
insuportavelmente.

Que maravilha isso!

Um beijo e bom Domingo!

Reggina Moon

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Roseemildo, uma alegria vir cedo e visitá-lo: num parnaso cheio de florescências humanizantes. Abraço com ternura como respeito pelo belíssimo trabalho,
Carinhosamente, Jorge Bichuetti
www.jorgebichuetti.blogspot.com

Valéria Sorohan disse...

Absolutamente visceral.

BeijooO*

Carla Fernanda disse...

Lindo poema que descreve com graça a atividade de escrever um poema, tão viva que, tem horas toma vida, forte ou fraco, vai nos levando enquando o tentamos determinar. A gente a escrevê-lo enquanto ele vai ficando vivo e exigente.
Beijos e parabéns!
Foste merecidamante homenageado por nossa amiga Evanir Rosemildo.
Carla

Elaine Barnes disse...

Sempre trazendo poetas sensacionbais. Obrigada amigo,realmente tem gente que nasce poeta e sabe usar o talento. Montão de bjs e abraços

Everson Russo disse...

O poema nasce por si e vive por força propria...abraços de boa semana pra ti meu amigo.

Mariz disse...

Lindo poema,

Hj é o dia do abraço e vim te trazer um abraço bem apertadinho.

Mariz

Lu Nogfer disse...

É lindo o nascer de um poema!

Belas informaçoes,amigo!

Beijos

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Mais um belo poema e mais uma informação complementar que gosto sempre de ler.

Beijinho
Sonhadora

Maria disse...

Amigo é sempre um prazer renovado vir ao seu cantinho. Um poema lindo acompanhado com os dados do poeta, ficou completo.
Tenha uma semana maravilhosa,
beijinhos
Maria

Sandra disse...

Fiquei super feliz com a sua vinda. Muito obrigada.
Sandra
Vim deixar meu abraço super gostoso a você..
Um abraço transmite emoções na trocas de carinhos e afetos.Compartilhamos alegrias, sentimentos, amenizamos as tristezas, demonstramos carinhos e amizades, damos amor.. Expremos sentimenso que somente nossos coração conhece.
Feliz dia do Abraço para Você.
Muito obrigada por ser meu amigo virtual tão especial. Carinhosamente,
Sandra

M@ria disse...

Vejo escorrer entre meus dedos
as areias do tempo
as águas do mar
e até a luz das estrelas
o sonho....o sonho passa inexorável
pelas frestas da eternidade...
e nada nos pertence de fato
a não ser as nossas ilusões...

£una

Feliz Semana e beijos meus! M@ria

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...