quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Banzo.


BANZO

E por que deixou na areia do Congo
a aldeia de palmas;
e porque seus ídolos negros
não fazem mais feitiços;
e porque o homem branco o enganou com missangas
e atulhou o porão do navio negreiro
com seu desespero covarde;
e porque não vê mais de ânfora ao ombro
a imagem do conga nas águas do Kuango,
ele fica na porta da senzala
de mão no queixo e cachimbo na boca,
varado de angústia,
olhando o horizonte,
calado, dormente,
pensando,
sofrendo,
chorando.
morrendo.

Menotti Del Picchia

Terceiro ocupante da Cadeira 28, eleito em 1º de abril de 1943, na sucessão de Xavier Marques e recebido pelo Acadêmico Cassiano Ricardo em 20 de dezembro de 1943. Recebeu o Acadêmico Luís Viana Filho.

Paulo Menotti del Picchia,  poeta, jornalista, político, romancista, contista, cronista e ensaísta, nasceu em São Paulo, SP, em 20 de março de 1892, e faleceu na mesma cidade em 23 de agosto de 1988.

Foram seus pais Luiz del Picchia e Corina del Corso del Picchia. Fez os estudos ginasiais em Campinas, SP, e diplomou-se em Ciências e Letras em Pouso Alegre, MG. Cursou depois a Faculdade de Direito de São Paulo, publicando durante o curso seu primeiro livro de poesias, Poemas do vício e da virtude, em 1913. Foi agricultor e advogado em Itapira, onde dirigiu o jornal Cidade de Itapira e fundou o jornal político O Grito. Lá escreveu os poemas Moisés e Juca Mulato, ambos publicados em 1917, Passou a residir em São Paulo, onde foi redator em diversos jornais, entre os quais A Gazeta e o Correio Paulistano. Fundou o jornal A Noite e dirigiu, com Cassiano Ricardo, os mensários São Paulo e Brasil Novo. Colaborou assiduamente no Diário da Noite, onde por muitos anos manteve uma seção diária sob o pseudônimo de Hélios, seção que ele criara, em 1922, no Correio Paulistano, através da qual divulgou as notícias do Movimento Modernista.

Com Graça Aranha, Oswald de Andrade, Mário de Andrade e outros, foi um dos arautos do Movimento, participando da Semana de Arte Moderna de 11 a 18 de fevereiro de 1922. Com Cassiano Ricardo, Plínio Salgado e outros, realizou o movimento Verdamarelo; depois, com Cassiano Ricardo e Mota Filho, chefiou o movimento cultural da Bandeira.

Além de jornalista militante exerceu inúmeros cargos públicos. Foi o primeiro diretor do Departamento de Imprensa e Propaganda do Estado de São Paulo; deputado estadual em duas legislaturas, membro da Constituinte do Estado e deputado federal pelo Estado de São Paulo em três legislaturas. Presidiu a Associação dos Escritores Brasileiros, seção de São Paulo.

Embora tenha incursionado por vários gêneros literários, é a sua poesia que destaca o sentido nacionalista do Modernismo, do qual foi precursor o seu poema nacional Juca Mulato (1917). A sua origem estética, no entanto, ainda é o Romantismo, que é evidente em sua poesia pela grandiloqüência e floreios verbais. Em 1982, foi proclamado Príncipe dos Poetas Brasileiros, o quarto e último deste título que pertenceu anteriormente a Olavo Bilac, Alberto de Oliveira e Olegário Mariano. Em 1984, recebeu o Prêmio Moinho Santista Categoria Poesia.

Fonte: Academia Brasileira de Letras e Wikipédia.

12 comentários:

Livinha disse...

Por que meu amigo Furtado, por que?
Bocas sem falas, sorrisos esquecidos, viveres, viveres onde estão seus brilhos. Um passado entristecido, suas nuanças separadas como lâminas secas da casca.
-O que foi que fizeram do meu passado e eu aqui sem destino, sozinho feito um velho menino, sem esperança e sem agasalho.

Belíssimo poema meu caro amigo,
profundo retrato vivo, dum passado que mancharam e que até hoje discriminado pelas manchas que neles foram colocadas, suas dignidade, respeito e benfeitorias

Linda quinta feira pra ti

Bjs

livinha

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo , e quantos negros essa angústia e tristeza chamada Banzo matou. Como deve ser triste, morrer de saudade.
Um abraço fica com Deus

Déia disse...

Eu tinha uma casa de repouso, e muitas vezes o médico responsavel, dizia que eles sofriam de banzo, por saudade dos familiares, pelo abandono...
triste, né?
bj

Everson Russo disse...

Triste tudo isso meu amigo,,,abraços de bom dia pra ti.

Valéria Sorohan disse...

Desolador.

Sandra disse...

AGRADEÇO IMENSAMENTE O SEU CARINHO. Retribuo com meu carinho tbém...
A CURIOSA AGRADEÇE A SUA ATENÇÃO. TEM UM SELINHO PARA VC. 80 MIL VISITAS.
NA INTERAÇÃO DE AMIGOS TEM COLETIVAS MUITO INTERESSANTE.
PASSE POR LÁ.
http://sandrarandrade7.blogspot.com
Um grande abraço.
A amizade é o melhor abraço que recebemos de alguém muito especial- VOCÊ!!
Que bom que vc veio.

Sandra

reltih disse...

excelente protesta.
un abrazo

Misturação - Ana Karla disse...

Furtado vim retribuir sua alegre visita.
Começando pelo nome do seu blog que adorei. Artes e emoções, sem falar que a proposta me interessou.
Saio daqui crescida após ler esse post.

Volte muitas outras vezes e já fico aqui como sua seguidora.

Xeros

Fatima disse...

Eu sofro de banzo de vez em quando, mas de coisas que não aconteceram.
Complicado né?!
Bjs.

panteraenlanoche disse...

Amei,muito lido e triste.
Bjs.

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Emoções à flor da pele neste belo poema.

Beijinhos
Sonhadora

"Cantinho Poético" disse...

"O importante não é o dia em que conhecemos novos amigos, e sim o dia em que eles começam a fazer parte de nossas vidas."

(Autor Desonhecido)

Feliz Sexta-Feira....Abraços!!M@ria

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...