segunda-feira, 19 de maio de 2014

As Irmãs Florêncio.

 
 
AS IRMÃS FLORÊNCIO I

Eram quatro as irmãs. Todas de branco.
Saíam cada tarde para a igreja.
Caminhavam sorrindo, com leveza.
Suas almas aos céus já haviam dado.

Eram quatro as irmãs. O mesmo porte.
A mesma face humilde e delicada,
O mesmo passo incerto, mas confiante,
Levemente tocando na calçada.

De casa minha mãe lhes acenava
E todos lhes sorriam a qualquer hora,
Saudando nos seus olhos a bondade.

Passados e perdidos tantos anos,
Em puro amor relembro-as com saudade,
Vendo-as ternas e tristes como os anjos.

Artur Benevides
 
  
ARTUR EDUARDO BENEVIDES – Nasceu em Pacatuba, 25 de julho de 1923, filho de Artur Feijó Benevides e Maria do Carmo Eduardo Benevides. Fez os preparatórios no Colégio São Luís e no Liceu, bacharelando-se em 1947 pela Faculdade de Direito do Ceará. Bacharel em Letras (!970). Presidiu o Centro Acadêmico Clóvis Beviláqua e a Sociedade Acadêmica de Cultura. Iniciou-se no jornalismo (“Correio do Ceará”, “Unitário”, “O Povo”, “O Nordeste”). Um dos fundadores do... Leia mais aqui:

Visite também:

4 comentários:

✿ chica disse...

Lindo olhar sobre essas irmãs de brando...Bela poesia! abração,ótima semana!chica

Anne Lieri disse...

Furtado,que linda a poesia que escolheu! Bjs e uma boa semana,

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu amigo

Mais um belo poema de um poeta que não conhecia e adorei ler.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Maria Rodrigues disse...

Meu amigo excelente escolha, um lindo poema de um poeta que não conhecia, obrigado pela partilha.
Beijinhos
Maria

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...