sexta-feira, 28 de junho de 2013

Paisagem.


 


PAISAGEM

Dorme sob o silêncio o parque. Com descanso,

Aos haustos, aspirando o finíssimo extrato

Que evapora a verdura e que deleita o olfato,

Pelas alas sem fim das árvores avanço.


Ao fundo do pomar, entre as folhas, abstrato

Em cismas, tristemente, um alvíssimo ganso

Escorrega de manso, escorrega de manso

Pelo claro cristal do límpido regato.


Nenhuma ave sequer sobre a macia alfombra

Pousa. Tudo deserto. Aos poucos escurece

A campina, a rechã sob a noturna sombra.


E enquanto o ganso vai, abstrato em cismas, pelas

Selvas adentro entrando, a noite desce, desce...

E espalham-se no céu camândulas de estrelas...


Francisca Júlia


Leia mais um belo soneto e a biografia da autora aqui:

Visite também:


4 comentários:

Livinha disse...

Belíssimo descrever da autora
na bela paisagem faz o canto
a noite que se deita sobre o dia,
como se dela fosse o manto...

E tão logo a noite finda,
a aurora desnuda se levanta
se entrega em ave maria,
em sua silhueta Santa...

Sabe Furtado, estava mesmo a sentir
saudades de toda a beleza poética
que por aqui apresentavas, pois que eras tu que me presenteou de todo os conceitos, poetas outros que jamais imaginava...
E tudo o que posso é somente agradecer...

Fim de semana de paz
e saúde a você e os teus...

Livinha

✿ chica disse...

Sempre trazendo maravilhas . Vim agradecer o carinho com Santiago por lá e nunca és intruso. Uma honra te ter lá! abraços,chica

Anne Lieri disse...

Mas quanto lirismo nessa poesia!Muito lindo mesmo!Fiquei feliz que gostou de participar do Recanto!bjs e boa sexta1

irene alves disse...

Fiquei muito feliz de conhecer mais
uma poetisa e gostei imenso.
Desejo que esteja bem.
Bj.
Irene Alves

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...