segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Autoencontro.

 


AUTOENCONTRO 


Hoje, eu me sinto como um pássaro,

Que voa a esmo em busca de um ninho,

Sem ter nada que possa lhe dar amparo

E tem por sina, sempre viver sozinho.


Hoje, eu me sinto como uma borboleta,

Que vagueia triste num jardim sem flor.

Sempre alerta, ou o espinho lhe espeta,

Mostrando as garras do seu desamor.


Hoje, eu me sinto como uma noite triste,

Sem brilho, opaca, chuvosa e muito fria.

Onde no céu, uma única estrela não existe,

Tornando-a sem graça, nefasta e sombria.


Já não sei quem sou, me perdi de mim,

Busco-me, estou sempre a me procurar,

Quem sabe, eu encontre alguém, e assim,

Me ache, e por fim, possa me encontrar.


R.S. Furtado


15 comentários:

chica disse...

Linda e cheia de profundidade nessa busca de si mesmo...abração, linda semana,chica

MARILENE disse...

Nostalgia... por vezes ela chega, silenciosamente, trazendo apenas interrogações. Muito bom! Abraço.

Roselia Bezerra disse...

Boa noite de paz interior, amigo Rosemildo!
Muito bonito seu poetar.
Todos temos algo assim a sentir um pouco desencontrado na busca do eu real.
Tenha dias abençoados!
Abraços fraternos

Elvira Carvalho disse...

Nestes tempos estranhos, andamos todos meio perdidos.
Só que não temos o seu talento para assim o descrever.
Gostei muito do poema
Abraço, saúde e boa semana

Fernanda W disse...

Amei cada verso. Amei e me identifiquei! Que possamos todos nos encontrar, amar e ser feliz!

GERALDO RIBEIRO disse...

Olá, Rosemildo.

Assim como você milhões de pessoas continuam procurando um pouco de vida no vazio que envvouveu o ser humano. Muito bom o seu poema.

lua singular disse...


Rosemildo,
Linda poesia
Vou parar um pouco porque estou doente
Um dia eu volto!
Abraços
Lua Singular

Artes e escritas disse...

Pois é, Rosemildo, hoje acordei e vi uma manhã muito agradável, de um céu azul encantador, de uma brisa suave, e era tanta a alegria da manhã que pensei se aquela sensação combinava com a pandemia, com os perigos de sair, de dia e de noite, e com máscara e álccol gel, lembrei que já vivi dias melhores e mais bonitos, mas o seu poema é significativo. Um abraço, Yayá.

Edum@nes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edum@nes disse...

Fantástico, pois, não se perca por aí,
evite por caminhos sombrios caminhar
foi com muito gosto que esse poema li
para outros mais ler aqui penso voltar!

Desejo continuação de boa semana, para si e para os seus, caro amigo Furtado, Um abraço,

Himawan Sant disse...

Além de bonito, esse texto também guarda um vazio no coração. Sinto a tristeza contida no texto. Você o define muito bem.
Saudações

Jaime Portela disse...

A vida é uma procura constante, de nós próprios e dos outros.
E por vezes encontramos o que procuramos.
Excelente poema, parabéns pela inspiração e talento.
Bom fim de semana, caro Furtado.
Abraço.

SOL da Esteva disse...

Apenas não nos encontramos se estivermos desnudados de Fé.
Belo Poema.


Abraço
SOL

lua singular disse...

Oi Rosemildo

Uma poesia chorosa e muito triste
A vida já é curta, então anime-se
Eu agora vou descansar
Abraços
Lua Singular

Maria Rodrigues disse...

Lindo, nostálgico e sentido poema.
Que cada um de nós se consiga encontrar.
Bom Domingo
Beijinhos