segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Amarga missão.


AMARGA MISSÃO

Já não mais sei quem sou,
Nem tampouco quem eu era
Se fui feliz ou não, já passou,
Vivo a vida numa eterna espera.
Dos dias que a mim decretou,
O destino a uma lida severa.

Já não mais tenho esperanças,
De algo de bom nesta vida.
Perambulo em minhas andanças,
Buscando um pouco de guarida.
Sem nada deixar de lembranças,
Até a hora da minha partida.

Sou um ser que não vive, vegeta,
E quem sabe, talvez sem coração.
Que veio ao mundo só cumprir a meta,
De penar em constante solidão.
E a uma vida de sofrimentos era certa,
Pois essa era a sua amarga missão.

R.S. Furtado

Este poema foi inspirado num relato de uma mulher nova e muito bonita. É incrível, mas podem crer. 
  
Queridos amigos!

Eis que mais uma vez, depois de um breve período de descanso, retornamos, eu e nossos dois espaços, o Arte & Emoções e o Literatura & Companhia Ilimitada, ao prazeroso convívio de todos vocês, razão maior e fomento da nossa permanência neste mundo maravilhoso.

Agradecemos de coração pelas valiosas atenção e compreensão, na esperança de poder continuar sendo merecedores desse apoio que somente nos fortalece.

Muito obrigado e beijos do coração de todos!

"Que DEUS seja louvado!

Rosemildo Sales Furtado  

Visite também:
Com a história da Literatura Portuguesa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...