quinta-feira, 8 de março de 2012

Declaração.


DECLARAÇÃO 

As aves, como voam livremente 
num voar de desafio! 
Eu te escrevo, meu amor, 
num escrever de libertação. 

Tantas, tantas coisas comigo 
adentro do coração 
que só escrevendo as liberto 
destas grades sem limitação. 
Que não se frustre o sentimento 
de o guardar em segredo 
como liones, correm as águas do rio! 
corram límpidos amores sem medo. 

Ei-lo que to apresento 
puro e simples - o amor 
que vive e cresce ao momento 
em que fecunda cada flor. 

O meu escrever-te é 
realização de cada instante 
germine a semente, e rompa o fruto 
da Mãe-Terra fertilizante. 

António Jacinto 


Leia mais um belo poema e a biografia do autor aqui. 

Visite também: 


6 comentários:

Everson Russo disse...

O amor em voo livre feito ave ganhando o infinito horizonte...abraços de bom dia pra ti meu amigo.

Smareis disse...

Um voo maravilhoso.
Declaração muito bonita do
António Jacinto.
Abraço amigo e ótimo dia.

Carla Fernanda disse...

Lindo, lindo demais!!
Beijos Rosemildo!!
:D

Bianca disse...

Gostei muito.

Everson Russo disse...

Um belo final de semana pra ti meu amigo...abraços fraternos.

richard disse...

Olá! Belo poema, bastante profundo.

Beijos,

Richard

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...