segunda-feira, 20 de maio de 2019

Contraste.


CONTRASTE

Toda em amor desperta apaixonada,
Nos meus braços caía languemente.
De passos em desmaios, abrasadas,
Pela caricia do meu beijo ardente.

Coração, alma, vida, me entregava,
E, nas juras de amor que eu lhe fazia.
Ela tão meigamente acreditava,
No entanto eu lhe fingia...
Pela mulher que assim me idolatrava,
Dentro em meu peito, amor não existia...

Depois ela por certo compreendendo,
Do meu afeto o simples fingimento.
Seu louco amor por mim fenecendo,
E nascendo de então o meu tormento.

Minhas juras de amor não acatavam,
Nos seus em flor já não queria,
O meu beijo que tanto lhe abrasara.
No entanto eu não fingia.
Pela mulher que assim me precisava,
Dentro em meu peito, amor muito existia.

R.S. Furtado

Visite também:
Clicando aqui:

7 comentários:

chica disse...

Linda poesia e pena os sentimentos desencontrados... Bela inspiração! abração, ótima semana! chica

Marina-Emer disse...

Preciosos versos al infinito amor ,como la vida misma .
Gracias por tu cariñoso comentario es un placer recibirte siempre .
Abrazos

CÉU disse...

Olá, querido Rosemildo!

Bela imagem para começar seu post.
A princípio você fazia juras de amor, que não sentia, e ela, "pobrezinha", triste ficava por saber k não eram verdadeiras. Depois, o amor chegou a seu coração, mas se gerou contraste. O amor, por vezes, é tão contraditório!

Beijos e boa semana.

Tais Luso disse...

Bonito poema, amigo Rosemildo, mas infelizmente os desencontram existem, muitos!
Uma ótima semana,
Beijo!

Maria Rodrigues disse...

É triste quando um ama e o outro não.
Lindo poema
Um abraço
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Se ela não viu, foi ela quem perdeu, meu caro. A gente não perde por dar amor, perde é quem não o recebe. Parabéns!

Jaime Portela disse...

Gostei imenso do seu poema.
É magnifico, parabéns pela inspiração.
Caro Furtado, um bom fim de semana.
Abraço.