segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Ósculos.


ÓSCULOS

Quando estamos na quadra da inocência,
Temos um beijo de supremo bem.
Beijo de amor, de zelo e de carícias,
- O beijo santo de mãe.

Quando estamos na quadra florescente,
Da juventude alegre e alvoroçada.
Temos na boca, sôfrego e ardente,
- O beijo da noiva amada.

Quando temos o sonho realizado,
E, a vida se completa venturosa.
Temos por prêmio, então,
- O beijo da terna esposa.

Depois vem meigamente à nossa frente,
Qual estrela puríssima que brilha,
Ao vir da noite em límpido horizonte,
- O casto beijo da filha.

R.S. Furtado

Visite também:
Clicando aqui:

11 comentários:

Rejane Tazza disse...

Muito linda tua poesia trazendo os beijos e fases! abração, linda semana! chica

Artes e escritas disse...

O poema é sutil, mas não se pode esquecer que Judas também beijou Cristo para o trair, pois está escrito. Um abraço, Yayá.

CÉU disse...

Olá, querido Rosemildo!

Gosto da palavra ósculo, k nem lembra beijo.

Um bonito e bem estruturado poema, onde o beijo passa pelas naturais fases. Lindo de se ler.

Grata por tua visita e votos.

Beijos e boa semana.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Lindo amigo Rosemildo, gostei bastante e aproveito para desejar uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Andradarte disse...

Quem conseguir acompanhar as quadras, terá a vida
bem mais facilitada e Feliz....
Abraço

Mariazita disse...

Olá, Furtado
Gostei muito deste seu poema, que vai percorrendo, com bom ritmo e saber, a evolução do beijo ao longo da vida.
Terminando com o beijo casto da filha... é a forma mais carinhosa de o fazer.

PS - Aproveito para lembrar que no próximo dia 14 a minha "CASA" completa mais um Aniversário. Gostaria de a ver entre os convivas 😉

Continuação de boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Lucinalva disse...

Olá Rosemildo
Que bela postagem. O abraço e o beijo são plenos. Abraços querido.

Jaime Portela disse...

Há muitos tipos de beijo...
Magnífico poema, gostei muito.
Caro Furtado, continuação de boa semana.
Abraço.

Pedro Luso disse...

Amigo Furtado, gostei muito deste seu poema (“Ósculos”), no qual o meu o poeta canta o beijo no transcurso do tempo que temos, desde a infância , com o beijo da mãe, na adolescência com o beijo da noiva, mais tarde, o beijo da esposa, e, por fim, o beijo da filha.
Parabéns poeta pela bela criação poética.
Um ótimo final de semana.
Grande abraço.
Pedro

Zilani Célia disse...

OI ROSEMILDO!
UM BEIJO, EM QUALQUER FASE DE NOSSAS VIDAS É VALIOSO.
LINDO POEMA.
ABRÇS
https://zilanicelia.blogspot.com/

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Os beijos são a ternura,
São Amor que nos consola,
Têm sabor que perdura
E pureza que acrisola.



Abraço
SOL