segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Amor e emoção.

  

AMOR E EMOÇÃO

Não adianta fingires que não mais o amas,
Se ainda é muito forte esse teu sentimento.
Sei que sozinha no teu quarto, o chamas,
E embora te esforces, não o tiras do pensamento.

Por que o disfarce, e não falas a verdade,
Se o que sentes jamais limitou-se à uma paixão?
Por que não assumes de vez essa tua realidade,
E atendes aos acenos, anseios do teu coração?

Com certeza, isso é tudo o que ele mais deseja,
Pois o que sente é de total reciprocidade.
Deixar fluir esse amor é o que mais ele almeja,
Para em conjunto, construírem a felicidade.

A vida é bela, mas é curta, e o tempo passa,
O passado não retorna, não tem recuperação.
O futuro é incerto e a esperança é escassa,

Por que não viveres o hoje, com amor e emoção?

R.S. Furtado

Visite também: 
Com a História da Literatura Brasileira 
Clicando aqui:

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Covardia.



 
COVARDIA

Enquanto o animal irracional utiliza-se de suas armas naturais para atacar e se defender, o homem, covardemente, utiliza-se de armas artificiais.”

R.S. Furtado 

QUERIDOS AMIGOS!

Lamentavelmente, estive afastado por uns dias em função de um pequeno problema ocorrido com o meu parceiro, nada que um simples transplante de placa não pudesse resolver.

Agradeço a compreensão de todos e prometo que todas as visitas serão retribuídas.

Beijos no coração de cada um de vocês.

Visite também: 
Com a História da Literatura Brasileira 
Clicando aqui:

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Dama da sociedade.



DAMA DA SOCIEDADE

Ela já não é mais a mesma de outrora,
Passava, olhava, e jamais ia embora,
Sem antes mostrar o seu requebrado.
Fazia questão de gingar, remexer,
Para que os homens ficassem a viver,
Pensando e sonhando com seu rebolado.

Saia transparente, blusinha decotada,
Por baixo a calcinha, na glútea colada,
Pois somente pensava, em chamar atenção.
Soutien nem pensar, a blusa era fininha,
E mostrar os biquinhos, só queria a mocinha,
Maliciosa, dos homens levantar o tesão.

Pudor? O que era? Ela nem sabia!
Pra ela, vergonha, também não existia,
Pois pra ela o belo, era pra ser mostrado.
Preconceito é bobagem, todos que se danem,
É meu e eu mostro, os homens que se inflamem,
Vou viver minha vida mostrando meu legado.

Hoje, o tempo depressa, num instante passou,
Muitos não acreditam, a mocinha mudou,
Leva uma vida recatada, com pudor, sem maldade.
E o respeito de todos, ela então conquistou,
Encontrou um bom partido, é feliz, se casou,
É mulher refinada. Ilustre dama da sociedade.

R.S. Furtado.

Visite também: 
Com a história da Literatura Brasileira 
Clicando aqui: 

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Finados.


FINADOS

SENHOR meu DEUS!
SENHOR meu PAI!

Hoje, dia 02 de novembro de 2015, aqui no Brasil é dedicado àqueles que aqui aportaram, viveram e, das mais diferentes formas, cumpriram com as missões para as quais foram determinados, e partiram para uma nova vida em outra dimensão, ora recebendo o nome de finados. Portanto, eis que, humildemente, mais uma vez recorro ao VOSSO poder, bondade e infinita magnificência, no sentido de abençoar, perdoar e proteger meus pais, irmãos, parentes de um modo geral, amigos e a todos, indistintamente, aqueles que, no passado, com as suas valiosas presenças alegraram e valorizaram a nossa existência, assim como iluminar todas as suas trajetórias.

AMÉM!

R.S. Furtado

Visite também:
Com a História da Literatura Brasileira
Clicando aqui:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...