sábado, 6 de dezembro de 2014

Os fantoches.


OS FANTOCHES

O fantoche obedece cegamente
ao comando do manipulador:
um tempo de sorrir e estar contente,
um tempo de chorar e sentir dor.

Mas, a face não muda. A gente sente
olhando em seu olhar, seja o que for
de morte e solidão, a inconsistente
vida a que uma outra vida dá calor.

O homem dos fantoches é um sucesso:
“Distinto público, eu agora peço...
(Silent uivando Patuleia).

A lágrima e o sorriso controlados
nos cordéis habilmente disfarçados.
(Os fantoches no palco ou na platéia?)

Deífilo Gurgel
 

Deífilo Gurgel (Areia Branca-RN, 22 de outubro de 1926 – Natal-RN, 6 de fevereiro de 2012, foi um advogado, professor universitário, administrador público, antropólogo, folclorista, poeta e historiador brasileiro. Deífilo Gurgel, que presidiu a Comissão Norte-Rio-Grandense de Folclore, foi professor da disciplina “Folclore Brasileiro”, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, tendo levado um número significativo de alunos para encontros de pesquisa com Câmara Cascudo, quando este, na época, era o mais citado, em trabalhos... Leia mais aqui:

Visite também:
Com a História da Literatura Portuguesa
Clicando aqui:

11 comentários:

✿ chica disse...

Linda e profunda poesia e tema que nos provoca...Ninguém gosta de manipuladores fora dos palcos , ali lindos, com seus bonecos.Aqui fora, deprimente e causa repúdio! abração, tudo de bom,chica

Laura Santos disse...

Outro poeta e homem multifacetado que desconhecia.
Quanto aos fantoches, eles podem encontrar-se tanto no palco como na plateia.
Palavras que fazem pensar.
Bom fim de semana, Furtado!
xx

Edumanes disse...

Alegria nos comove,
por que não apoquenta
divertido esse fantoche
fantoche, belo poema!

Bom fim de semana amigo Furtado, um abraço.
Eduardo.

Maria Teresa Valente disse...

Olá Furtado, sempre nos instigando a pensar naquilo que nos amedronta. Boa escolha de autor e poesia, difícil é ser fantoche, nas mãos de quem é manipulador de vidas.
Obrigada, abraços carinhosos
Maria Teresa

ReltiH disse...

MUY REFLEXIVO POEMA.
UN ABRAZO

MARILENE disse...

Gostei muito. A falta de conhecimento, de amor próprio, de objetivos nobres... facilita a manipulação dos homens.
No palco, é arte. Na vida, um desastre. Abraço.

Nelma Ladeira disse...

Profunda poesia!
Adorei conhecer seu blog,lindas poesias.
Obrigada pela visita.
Beijinhos.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Belos versos. Desconhecia o autor.
Abraço a vc e aos seus.
Renata

Cristina disse...

Excelente selección de versos acompañados de una imagen perfecta!
Gracias por la vista, bello fin de semana!

Besos.

Helena disse...

No palco e na plateia os fantoches permeiam lugares, expressões, sentimentos e emoções... É o show da vida, meu amigo!
Que teu domingo seja de alegrias e sorrisos junto da família e a semana inundada de estrelas no correr das horas.

Maria Rodrigues disse...

Não conhecia o autor. Versos profundos e belos.
Beijinhos
Maria

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...