sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Soneto.


SONETO

Percamo-nos no sal que o sal nos veste
e há de nos levar ao reino das janelas
onde os brinquedos pendem do cipreste
nascido sobre as manchas amarelas.

E onde os ventos que sopram de nordeste
fazem-se mãos e ritmos como aquelas
mãos que teceram fios azul-celeste
levando ao mar as mais que nossas velas.

Mas não houve, e houve volta a essas vulgares
coisas, que não de vento e não de mares,
de quartos e silêncios prolongados.

Quando as damas e os bispos preto e branco
seguiam mais o rei que esse era manco
peões que eram de chumbo e eram soldados.

Edmir Domingues


Leia mais um belo soneto e a biografia do autor aqui:

Visite também:
Com a Literatura peruana, clicando aqui: 

13 comentários:

✿ chica disse...

Lindo soneto e imagem! Lindo fds, abração SALGADO e praiano,chica

SOL da Esteva disse...

Os Sonetos têm o espartilho dos Versos e das Rimas, por isso são a mais nobre forma de poesia.
Gostei e admiro.


Abraços


SOL

Andradarte disse...

A vida é um jogo....difícil
pro vezes....
bfs
Abraço

Vanuza Pantaleão disse...

Edmir Domingues, vou guardar esse nome, pois o soneto é simbólico e cheio de muitas metáforas.
Amigo, que tenhas um ótimo fim de semana ao lado de tua família.
Abração carinhoso!

Anne Lieri disse...

Furtado,mais um belo soneto compartilhou conosco. Eu achei muito lindo! bjs,

Edumanes disse...

Belo Soneto.
Veste, cipreste, janelas e amarelas,
vulgares, silêncio em mares prolongados
partiram soldados para as guerras
vestidos com fatos camuflados!

Bom fim de semana, um abraço.
Eduardo.

Helena disse...

Furtado: lamento muito não ter descoberto teu blog há mais tempo, para já estar usufruindo todo o conhecimento que aqui é transmitido. Mas apesar da admiração pelo teu trabalho de divulgação de escritores tão importantes na literatura nacional e mundial (não só neste como também no teu outro blog Literatura & Companhia Ilimitada), confesso que gostaria muito de ver aqui postado mais poemas e textos teus. Tal preferência se dá por ter tido um tempo maior agora cedo para visitar os blogs amigos, e algo me impulsionou para o teu espaço. Por isso estive a visitar o princípio de tudo, lá pelo final do ano de 2008, quando começou a tua lida blogueira publicando um texto sobre o Tabagismo. Tive o prazer de ler e apreciar alguns poemas teus buscados aleatoriamente através dos anos, tais como: ENGODO, MEU REVÓLVER, INALCANÇÁVEl, EU GOSTARIA TANTO, CIÚME DE CABRA MACHO, O SONHO, POUCO IMPORTA, CRISTO, ESTAR CONTIGO AGORA, NOS TEMPOS DE OUTRORA, VOCÊ SE FOI, todos inundados de uma poesia sensível e bem estruturada, como também os textos onde falas sobre o preconceito nas vagas na educação e um que muito me emocionou com relação à despedida da tua querida mãezinha. Pude também apreciar os versos de É BRASILEIRO, a música que poderia ter concorrido no festival (e que na certa ganharia pela verdade nela contida), mas que foste aconselhado a não tentar por estarem vivendo num regime militar.
Fiquei embevecida com tanta coisa preciosa que aqui encontrei. Se me permite gostaria de sugerir que publicasse mais os teus próprios escritos, poemas, textos que às vezes chegam em forma de crônicas, enfim, que mostrasse com mais assiduidade essa tua veia poética e a facilidade que tens em captar as emoções, demonstrando assim a tua inspiração de grande escritor. Tenho certeza de que muitos dos amigos que te visitam gostaria também de ver mais publicações tuas.
É pena que o dever me chame e eu tenha que atender o seu chamado, senão ficaria por aqui a descobrir mais desse tesouro inesgotável da tua sabedoria.
Amigo, permita-me assim chamar-te pela admiração e respeito que tenho por ti, estou deixando sorrisos e estrelas para enfeitar o teu final de semana, que desejo seja de muitas alegrias juntos aos familiares queridos.
Com apreço,
Helena

ReltiH disse...

EXCELENTÍSIMO SONETO. GRACIAS POR COMPARTIRLO.
UN ABRAZO

Evanir disse...

Boa Noite Amigo.
O tempo nos faz ver as amizades lindas que encontramos no longo da nossa caminhada em visitas nessa casa onde graças a Deus as portas sempre estiveram abertas para mim.
Poeta..
Enviei no email ,
que encontrei aqui no seu blog
um mimo pelo seu aniversário vc recebeu amigo?
Carinhosamente desejo um feliz e abençoado final de semana beijos.
Evanir.

MARILENE disse...

É sempre rico seu espaço. Aqui, conheço autores que ainda não havia lido, e também os que você escreve. Sonetos não são fáceis de se construir e esse é belo, contendo entrelinhas que não podem passar despercebidas. Abraço.

Lívia Apetitto disse...

Venturas do aparente,
ilusões somente,
as coisas que se criam,
pobres sementes...

Estou cá novamente meu amigo,
sabes tocar em minh'alma,
como se toca nos fios mais altos,
os elétricos que assanham e não acalma...
Eu que sempre fugidia,
de um tempo que não é só meu,
entregue me faço as maresias,
curiosa sobre os mistérios de Deus...
Você no seu jeito simples,
sacode a saia da morena,
- Vamos menina, se apressa,
que tua é a vez que se encena...

obrigado Furtado amigo,
conterrâneo nordestino,
quão bom esse laço que nos prende,
ser do tempo poetas andarilhos...

Sempre te aplaudindo pelo feito
d'outros poetas e dos teus poemas,
o que mais gosto...

Beijinhos

Livinha

José María Souza Costa disse...

Olá, bom tudo, para você
Neste dia de sábado, doado-nos graciosamente pelo Criador, estou cá, com o sentimento de amizade, respeito e alegria, à saudar-te.
Viva, o dom da Vida.
Um abraço.

ONG ALERTA disse...

Muito lindo, abraço Lisette,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...