terça-feira, 5 de agosto de 2014

Tortura.

   
 
TORTURA

A Adelino Fontoura

Ante a mesquita d’áureos minaretes
Açoitam dois telingas a traidora;
As vergastas, sutis como floretes,
Sibilam sobre a carne tentadora.

À vibração das varas, estremecem
Seus níveos membros firmes, delicados,
E, nos espasmos do sofrer, parecem
Das contorções do gozo eletrizados.

Geme aos golpes, que as carnes lhe retalham,
E aberta a rósea boca, os olhos belos
Pérolas vertem, que seu peito orvalham;

Dobram-se as curvas, soltam-se os cabelos,
E do alvo colo, amargurado e exangue,
- Como esparsos rubis - goteja o sangue.

Valentim Magalhães
 
 

Leia mais um belo soneto e a biografia do poeta aqui:

Visite também:

11 comentários:

Laura Santos disse...

Grande sonetista! Gostei de ambos os sonetos, mas esta "Tortura" é intensa, cheia de imagens densas e fortes.
Gostei muito, Furtado.
xx

Lívia Apetitto disse...

Olá meu caro amigo,
passando num jeito simples
de te ler
sabe, falar em tortura
é caso sério,
são açoites, faz doer...

O poema é profundo,
muito forte, pode crer,
bem faz parte desse mundo
torturas que sofre até morrer...

...................

Voltando, devagarzinho
buscando ser mais presente,
a vida é uma luta constante
a sobrepor o que se sente...
Vamos ver até onde eu caminho,
se me cansar haverei de sentar,
ainda que seja somente um pouquinho,
não posso deixar me intimidar...

Deixando um grande abraço
e o meu carinho pra ti

Livinha

Eduardo Maria Nunes disse...

Quando a tortura é...
aventura da maldade
sem esperança e fé
adeus ó felicidade!

Provoca em qualquer lugar,
por ser tão escandalosa
essa palavra horrorosa
que evito de pronunciar.

Porque têm valor as visitas,
venho aqui amigo te visitar
não venho aqui para falar
de aventuras descabidas!

Nesse blog, ai...
onde se encontra o tema
como de outros que já li
gostei desse poema.

Um abraço, amigo Furtado.

SOL da Esteva disse...

A tortura é amargura
Ditada a pena de Lei.
Quando a pena é segura
Fico sem paz e bem sei
Que a Justiça é mui dura.




Abraços



SOL

Daniel Costa disse...

Rosemildo

Que bom documento constitui o Soneto de Valentim Magalhães, decerto humanista, além s poeta.
Boa divulgação,
Um abraço

✿ chica disse...

Tu sempre trazendo poemas lindos!Esse versos fortes ,intensos! Agradeço o carinho lá no MARCO, que fez 12 anos. Estou com netos ( todos 6,guris) com 18, 17, 12, 11, 9 e 6 anos.

Vooooooooooooooa!!! abração,chica

Dorli disse...

Bom dia Rosemildo

Uma poesia que me fez arrepiar. Hoje estamos em sintonia com as poesias.
Um beijo
Lua Singular

Dorli disse...

Bom dia Rosemildo

Uma poesia que me fez arrepiar. Hoje estamos em sintonia com as poesias.
Um beijo
Lua Singular

Anne Lieri disse...

Oi Furtado! Quanto lirismo nesse belo soneto! E hoje vc está em meu blog do Recanto dos autores com uma poesia tb! Bjs e boa quarta!

Anne Lieri disse...

Oi Furtado! Quanto lirismo nesse belo soneto! E hoje vc está em meu blog do Recanto dos autores com uma poesia tb! Bjs e boa quarta!

Nilson Barcelli disse...

Um soneto forte e muito bem escrito.
Gostei.
Furtado, tem um bom resto de semana.
Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...