terça-feira, 10 de junho de 2014

A um rico.

 
 

A UM RICO

Das nuvens cor de rosa da opulência
Tentas em vão bater a Desventura,
E, no entretanto, quanta noite escura,
Em vez de auroras, veste-te a existência!

Quantos desses que vivem na indigência
Dos restos do que comes à procura,
Mais do que tu não vivem na Ventura
– Da pobreza na pálida aparência?

Quantos desses que dentro dos farrapos
De uns, em pedaços, miseráveis trapos
Que lhes servem de capa ao corpo nu,

Quantos desses que míseros, sem nome,
Se revolvem no pelágio da fome
Não são mais venturosos do que tu?

Xavier de Carvalho
 

Poeta, Inácio Xavier de Carvalho, nasceu em São Luís no dia 26 de agosto de 1871. Integrou, juntamente com Antonio Lobo e Fran Paxeco, entre outros, a Oficina dos Novos, movimento de renovação literária empreendido por um grupo de escritores maranhenses no início do século XX.

Não há registros confiáveis sobre sua juventude. Com certeza, sabe-se apenas que estudou Direito em Recife, de onde retornou para o Maranhão. Aqui exerceu cargos como o de promotor público, juiz municipal e professor de... Leia mais aqui:

Visite também:

2 comentários:

✿ chica disse...

Linda e bem profunda poesia,rica em sentido! abração,linda semana,chica

Anônimo disse...

Muito Lindo!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...