sábado, 24 de maio de 2014

O Cão.

     
O CÃO

          A Edson Nery da Fonseca

É um cão negro. É talvez o próprio Cão
assombrado e fazendo assombração.
Estraçalha o silêncio com seus uivos.
A espada ígnea do olhar na escuridão

separa a noite, abre um canal no escuro.
Cão da Constelação do Grande Cão,
tombado no quintal, espreita o pulo:
duendes, fantasmas de ladrão no muro.

O latido ancestral liberta a fome
de tempo, e o cão, presa do faro, come
o medo e a treva. Agita-se, devora

sua ração de cor. Pois, louco e uivante,
lambe os pontos cardeais, morde o levante
e bebe o sangue matinal da aurora.

Mauro Mota
 

Mauro Ramos da Mota e Albuquerque (Nazaré da Mata, 16 de agosto de 1911 – Recife , 22 de novembro de 1984) foi um jornalista, professor, poeta, cronista, ensaísta e memorialista.

Diplomou-se na Faculdade de Direito do Recife, em 1937. Tornou-se professor de História do Ginásio do Recife e em várias escolas particulares; catedrático de Geografia do Brasil, por concurso público, do Instituto de Educação de Pernambuco. Desde os anos universitários colaborava na imprensa. Foi secretário, redator-chefe e diretor do Diário de Pernambuco; Colaborador literário do... Leia mais aqui:

Visite também:

4 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

Bom dia Furtado, amanheci com alegria lendo seu comentário aos meus versos. Aqui estou neste seu belo espaço lendo aogumas postagens suas, de inicio um belo Soneto, obra máxima dos "bardos" desta arte literária. Agradecida, e bom fim de semana ao amigo!
Efigenia

✿ chica disse...

UAU, credo, deu medo desse cão, tão assustadoramente descrito(e mostrado) nessa bela poesia! abração,chica

Eduardo Maria Nunes disse...

Com imaginação...
versos escreve o poeta
escreveu o poema do cão
nenhuma dúvida resta.

Está muito bem escrito.
fala de um cão negro
não ladra escondido
corpulento não tem medo.

A brilhar, o sol nasce!
depois da madrugada
se é que ele aparece
espanta o fantasma!

O cão e não sol,
Há no campo uma flor
o amarelo girassol
há também o caracol
apressado animal labutador!

Bom petisco se comer!
com cerveja acompanhado
depois de ranho não ter
na panela é cozinhado.

Tenha um bom fim de semana amigo Furtado, um abraço,
Eduardo.

ReltiH disse...

UN TEXTO OSCURO, PERO ARTÍSTICO.
UN ABRAZO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...