sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Gastronomia.



GASTRONOMIA

Minha língua passeia
sobre teu corpo
em busca dos seus sabores...
Aqui,
tâmara e mel;
acolá,
generoso vinho,
– presunto de parma e figo...

(Um frêmito te percorre
e contagia meu corpo inteiro).

Há partes que, mesmo quentes,
lembram sorvetes de mangaba,
sapoti, maracujá...
Ali (ah! Ali!)
há sabor de mar,
e mar é vida
– essa vida que te faz tremer,
gemer e, em êxtase,
murmurar meu nome...

Antônio Albino

O jornalista Antônio Albino Pinheiro Marinho morreu no dia 21/04 em Brasília.  Trabalhou em jornais do Recife e de São Paulo. Em homenagem à sua carreira e memória de Albino, o jornalista Denílson Vasconcelos redigiu a nota abaixo:

Não numa segunda ou quarta-feira, dias comuns, inexpressivos. Um sábado estava de bom tamanho. Mas não um sábado qualquer, pois ele gostava de coisas grandiosas. Por isso, foi no sábado, 21 de abril, feriado de Tiradentes e do aniversário da inauguração de Brasília – cidade tão especial para ele, que o levou a largar para trás São Paulo, a casa da família no Parque Continental, os amigos – que ele partiu, sem dizer adeus. Acho que nem se despediu de si mesmo, pois temia de morte esse momento. Leia mais aqui:

Fonte: Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
Visite também:

5 comentários:

✿ chica disse...

Linda e sensual, bem escolhida a poesia do autor! abração, lindo fds!chica

Anne Lieri disse...

Muita sensualidade nessa bela poesia! Não conhecia o autor.bjs e bom fim de semana,

Maria Rodrigues disse...

Quanta paixão neste lindo poema, excelente escolha.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria

ReltiH disse...

UN TEXTO MUY DELICIOSO!!!!
UN ABRAZO

Lídia Borges disse...


Os sabores da poesia!

Um beijo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...