sábado, 5 de outubro de 2013

Instância.


INSTÂNCIA

Quem volta ao lugar perdido
quer ver o tempo.
Não vê a casa, o muro, o degrau mais fino:
quer no bater do coração antigo.

Espanta a resistência daquela árvore,
a mesma e outra nesta floração.
Espanta a cor fiel dos azulejos,
a penumbra e o tom daquele quarto
desenhados na pauta de outros olhos.

Quem retorna não mora no outro tempo,
embora imite o rosto ancestral.
Quem retorna medita. Não cruza o corredor
como planava a mosca distraída.

Pode-se sentar na escada, prover os olhos
com a massa do cenário inocente.
Livre-se o coração para a verdade
desta árvore em gala de outro amor.

Alcides Villaça



Alcides Villaça (Atibaia SP, 1946) recebeu, em 1967, Menção Honrosa no Concurso Governador do Estado, categoria poesia. Na época, teve poemas publicados no jornal Diário do Povo, de Campinas. Em 1971, formou-se em Letras na Universidade de São Paulo, onde passaria a lecionar Literatura Brasileira a partir de 1973. Seu primeiro livro de poesia, O Tempo e Outros Remorsos, foi lançado em 1975, com recital do ator Antonio Fagundes, no Masp. Nos anos de 1970 e 1980 dedicou-se à pesquisa e ao ensino universitário; em 1984, tornou-se Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo, com a tese A Poesia de Ferreira Gullar. Em 1988 publicou a obra poética Viagem de Trem. Tornou-se Livre Docente pela USP, em 1999, com a tese Lendo Poetas Brasileiros. Vem colaborando em vários periódicos como resenhista e ensaista literário, entre os quais Folha de S. Paulo e Cadernos de Literatura Brasileira. A poesia de Villaça é influenciada por Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto, Manuel Bandeira. O crítico João Luiz Lafetá afirmou, ao analisar Viagem de Trem: “seu verso é ágil, seu ritmo é vário, suas imagens são quase sempre desconcertantes”.

Fonte: http://www.astormentas.com

Visite também:

4 comentários:

Lívia Apetitto disse...

Olá Furtado

Quem volta ao tempo
de fato,
nada ver em sua volta
perdido fica distante
como se fechada a porta...

Sempre belíssimos poemas
o que admiro muito...

Beijinhos e feliz fim de semana

✿ chica disse...

Voltar ao tempo é bom, mas saber retornar qo presente, preciso! abração, lindo fds! chica

MARILENE disse...

Voltamos a lugares por onde já passamos, mas o tempo é outro e nossas memórias, por mais fortes que sejam, não são capazes de recriar sentimentos.
Muito belo o poema e o autor merece aplausos. Abraço.

Severa Cabral(escritora) disse...

BOA NOITE MEU MAIS QUE QUERIDO AMIGO !
ESTAVA A LER O TEXTO E REFLETIR EM ALGUMAS COISAS.O POEMA É FENOMENAL E ATRAENTE...
BJS DE FINAL DE SEMANA !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...