domingo, 25 de agosto de 2013

No Banho.


 NO BANHO

   Ninfas do bosque, Naiades formosas,
Sátiros, Faunos, vinde vê-la agora,
Nua, no banho, esta ideal senhora,
Que em beleza e frescura excede as rosas.

Vinde todos depressa!... Ei-la que cora,
Ei-la que solta as tranças graciosas
Sobre as espáduas níveas, capitosas...
Ei-la que treme à loura luz da aurora...

Tinge-se o céu de cores purpurinas,
O sol desponta; as tímidas boninas
Mostram à luz os cálices dourados.

Vêde-as, Ninfas, agora: os nacarados
Lábios, os seios túmidos, nevaeiados,
Segredam coisas ideais, divinas.

Adolfo Caminha
Leia a biografia e mais um belo soneto do autor aqui:

 Leia também:

5 comentários:

✿ chica disse...

Inspiradíssima poesia e tu sempre rebuscando o nosso olhar. Lindo! abração,chica

Cristal de uma mulher disse...

Divinamente divino..Um escritor altamente..Alias muitos consagrados por aqui.Se não reconhecidos pela falta de oportunidade talvez,falo de deixo as letras...parabéns.

Cristal

Wanderley Elian Lima disse...

Belo poema e bela imagem.
Abraço

Mary disse...

Oi Rosemildo!

Lindo poema...

Bjo meu querido

Andradarte disse...

Belo soneto, sobre um tema inesgotàvel....A Mulher..
Abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...