sábado, 3 de agosto de 2013

Crisantemas.


 

CRISANTEMAS

Tão longe do Fúsi-no-Yama,
No nosso outono, as exiladas
Crisantemas da terra em chama,
Florescem em tardes geladas.

Do seu canto natal de flama
Ainda mal desacostumadas,
Florescem em tardes geladas,
Tão longe do Fúsi-no-Yama!

E uma noite negra de lama,
As que viam noites doiradas,
Caem nas charcas, desfolhadas...
Longe de tudo o que se chama,
Tão longe do Fúsi-no-Yama!

Alberto Osório de Castro


Escritor e político português nascido a 1 de março de 1868, em Coimbra, e falecido em 1946, em Lisboa. Licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, onde ganhou interesse pela literatura, tendo colaborado na revista Boémia Nova, juntamente com António Nobre, e pertencido ao movimento do decadentismo-simbolismo. Foi amigo de Camilo Pessanha, que o influenciou na sua poesia, repleta de referências ao exotismo orientalista. Fundou o jornal político Novo Tempo, que publicou os primeiros poemas de Camilo Pessanha. Como magistrado, viajou pelo oriente – daí a infuência oriental na sua poesia – e ocupou cargos em Angola, Timor e Índia. Veio a ser Ministro da Justiça no governo de Sidónio Pais.

Da sua obra literária fazem parte: Exiladas (1846), A Cinza dos Mirtos (1907), O Sinal da Sombra (1923), A Ilha Verde e Vermelha de Timor (1943) e Cristais de Neve.

Fonte: Infopédia 

Visite também:


7 comentários:

ReltiH disse...

SIEMPRE MUY INTERESANTE, LO QUE NOS COMPARTES.
UN ABRAZO

✿ chica disse...

Muito linda mais essa poesia! Gosto da diversidade de autores que nos mostras!abração,tudo de bom,ótimo fds!chica

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo
Belo poema, e gosto muito quando coloca a biografia do autor.
Abraço

Mary disse...

Oi Rosemildo!
Vejo que tbm és potiguar rs

Fiquei honrada com sua visita e comentário...Não vim antes pois além da falta de tempo estou um pouco dodói, mas estarei sempre por aqui!

Excelente tardinha de sábado pra ti, tha?

Maria Rodrigues disse...

A nostálgia e saudade num poema tão lindo, excelente escolha meu amigo. Não conhecia o poeta, obrigado pela partilha.
Bom domingo
Beijinhos
Maria

Lu Nogfer disse...

Belissima poesia! Parabens pela escolha!

Beijos e uma otima semana!

LUCONI disse...

Uma belíssima poesia que tão bem fala do exílio da pátria natal, através destas lindas crisântemas, obrigada pelo carinho em minha casinha e eu me sinto muito honrada em tê-lo como meu seguidor, abraços Luconi

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...