sexta-feira, 30 de março de 2012

Alegoria da tarde.



ALEGORIA DA TARDE

Recolhe o dia aos campos e à cidade,
A Tarde... E num crepúsculo de beijos,
Que o sol lança a boca aos meus desejos,
As horas vão morrendo com saudade.
 
E o9 dia lembra — que é chegado ao fim,
Ao Pintor de Penumbras a que venha...
E como deixa nos altos da montanha
O Sol, a Tarde, afasta-se de mim.

Vai longe a aça de oiro e pedrarias
Das voluptuosas, bêbadas manhãs,
Do grande Sol heróico dos bons-dias!

E ao recair das horas, pelo Outono,
As coisas choram lágrimas cristãs
Sob as cinzas da tarde, ao abandono.

Afonso Duarte

Afonso Duarte foi um poeta português (Ereira, Montemor-o-Velho, 1.1.1884 – Coimbra, 5.3.1958). Formou-se, em Coimbra, em Ciências Físico-Naturais (1913). Foi, ali, professor da Escola Normal e dedicou-se em especial à pedagogia do desenho; interessou-se por temas de etnografia e arte popular portuguesa. Manteve, ao longo da sua vida, intenso e caloroso convívio literário com sucessivas escolas e grupos, de que são testemunhos a colaboração na Águia e na «Renascença Portuguesa», as relações com os «Esotéricos», a passagem pela Presença e pela Seara Nova, e com os poetas do «Novo Cancioneiro»
 
A sua obra poética acusa esse permanente esforço de renovação, mantendo-se, todavia, fiel à inspiração entranhadamente portuguesa e tradicional, aos motivos da terra, da vida animal, do povo e da lide agrária, das crenças e mitos seculares, sempre rica de poder metafórico e alusivo, evoluiu, no entanto, progressivamente, para uma forma mais despojada e epigramática, e o ímpeto genesíaco, velado por uma religiosidade difusa e melancólica, que transborda nas primeiras obras, contém-se e interioriza-se, o tom torna-se mais cerebral e moralístico, até dar numa sabedoria desenganada e algo sarcástica ou num denso e sentencioso comentário profético do mundo contemporâneo.

Visite também:



7 comentários:

✿ chica disse...

Que maravilhosa poesia e a alegoria da tarde, lindíssima!abração,chica

Everson Russo disse...

Romântico cenário da vida meu amigo...abraços de bom final de semana.

Everson Russo disse...

Um belo sábado pra ti amigo...abraços.

Lau Milesi disse...

Uma belíssima alegoria,um poema muito bonito, Furtado. Obrigada, não conhecia o poeta.Gosto muito das sua postagens. Aprecio informações. :)Trabalho com elas.:) Seu blog está muito bonito tanbém.

Já o levei para a minha lista, viu?

Um beijo pra família e pra você. Bom domingo!

ReltiH disse...

MUCHAS GRACIAS POR COMPARTIR TAN BELLA POESÍA.
LA OTRA SEMANA ESTARE EN BRASIL.
UN ABRAZO

OutrosEncantos disse...

a tarde!
gosto da tarde, sabias?
gosto da rota da rota do sol a caminho do crepúsculo.
e gosto das tuas escolhas, que me ensinam sobre gente que não conhecia.
e também gosto de ti, amigo, apesar das minhas ausências...

venho deixar-te um abraço carinhoso.
maria.

ONG ALERTA disse...

Um encanto, abraço Lisette.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...