sábado, 11 de fevereiro de 2012

Como posso eu amar-te, se nem sei.


COMO POSSO EU AMAR-TE, SE NEM SEI 

Como posso eu amar-te, se nem sei 
como à porta te chamam os vizinhos, 
nem visitei a rua onde nasceste, 
nem a tua memória confessei. 
Que vaga rima me permite agora 
desenhar-te de rosto e corpo inteiro 
se só na tua pele é verdadeiro 
o lume que na língua se demora... 
Não deixes que te enganem os recados 
na infernal gazeta publicados 
que te dão já por escultura minha; 
nocturno frankenstein, em vão soprei 
trombas de criação, e foste tu 
quem me criou a mim quando quiseste. 

António Franco Alexandre 


António Franco Alexandre (Viseu, 1944) é um matemático, filósofo e poeta português. Viveu na França, de 1962 a 1969, na cidade de Toulouse, onde estudou Matemática. Viajou para os Estados Unidos, onde continuou a estudar. Em 1971, mudou-se para a cidade de Paris. Apenas depois da Revolução dos Cravos retornou a Portugal. B.Sc. em Matemática pela Universidade de Harvard e doutor em Filosofia pela Universidade de Lisboa, desde 1975 leciona Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. A sua poesia tem conquistado cada vez maior reconhecimento crítico. Quatro Caprichos recebeu o Prémio APE de Poesia e o Prémio Luís Miguel Nava; Duende ganhou o Prémio D. Dinis da Fundação Casa de Mateus e o Prémio Correntes d'Escritas

Fonte: Wikipédia.   

Visite também: 

9 comentários:

Everson Russo disse...

Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços.

blog da Paraguassu disse...

Olá Rosemildo,
Lindo este poema. Brilhante e um pouco melancólico, porém belo.
Amigo, quero convidar-te para conhecer meu novo blog RECANTO DA POESIA, onde ensaio alguns trabalhos poéticos.
Seria uma honra recebê-lo e eu ficaria imensamente feliz com sua presença. Espero que gostes.
Um ótimo final de semana para você e
um grande beijo.
Maria Paraguassu.

Livinha disse...

Como amar se não me creio
se não conheço de onde veio
nem endereço tenho por inteiro...

Quem seria se não a deusa da
poesia, aquela ligada aos cânticos
da lua, no calor do sol o seus desejos...

Belíssima composição
o que por vezes não se sabe o que vai na alma de um poeta,
mas saber que se exalta em festa
a pureza de suas ilusões...

Pleno

Feliz domingo pra ti
e os teus meu amigo

Livinha

Magia da Inês disse...

Bela poesia... romântica e bela!
Boa semana!
Beijinhos.
Minas

(⁀‵⁀,)
¸`⋎´
¸.•°`♥

Everson Russo disse...

Uma bela semana pra ti meu amigo...abraços.

Alala disse...

Lindíssima poesia. Adorei o post! Abraços

Maria disse...

Excelente escolha meu amigo um poema maravilhoso.
Bom restinho de domingo e uma excelente semana.
Beijinhos
Maria

ReltiH disse...

EL AMOR ES ASÍ DE CONTRADICTORIO.
UN ABRAZO

M@ria & M@ria disse...

Pra você!
Um ramalhete
Com rosas e alecrim
Nele, fitas de afetos
Em laços de bem querer,
Um sorriso em cada pétala
Um bilhete de paz
Pra tua vida ...
E um pedido!
Jamais se esqueça de mim

¬Sirlei L. Passolongo¬

Beijos e meu carinho sempre...M@ria

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...