domingo, 30 de outubro de 2011

Os burros.


OS BURROS

É preciso acabar com esse desprezo, ou com esse equívoco. Os burros não são burros. Olhem os olhos deles. Podem ser teimosos, às vezes, às vezes, podem ser maus. Buffon, que sabia mais do que nós, explicou que os burros ficam assim quando o sofrimento lhes mostra, depois de muitas provações, que os homens não prestam. A melhor defesa das culpas inventadas contra os burros é o amor que lhes têm tido os poetas. La Fontaine fez exceção. Os animais das Fábulas, porém, são homens disfarçados. Eu gosto dos burros. Principalmente dos que andam na dura lida, sobre as pedras das ruas, sobre o barro das estradas, ao sol, à chuva, dia e noite. Tristes, tristes. Sem nenhuma queixa. Que humildade! Que paciência! Que coragem! Pensam para dentro. Não procuram impor nem a sua vontade nem a sua opinião. Obedecem. Zurram. É um modo de dizer que não têm nada com isso. Se foram a guerra, foram levados. Combateram os filisteus, resumidos numa caveira, que Sansão brandiu, criando o mais puro dos símbolos. Um burro assistiu ao nascimento de Jesus. Um burro levou Jesus para a entrada festiva em Jerusalém. Não é fácil julgar criaturas de tamanha discrição. Dos burros, além dos nossos pontos de vista, só possuímos a aparência. Aparência que varia, conforme os nossos pontos de vista. Há quem os achem ridículos. Há quem os ache sublimes. São bonitos, ou feios, de acordo com os temperamentos. Já existe tanta crítica, de tanta coisa. Para que críticas dos burros? Bom, é lhes querer bem, admiti-los tais quais se revelam, incapazes de aborrecer os outros, inimigos da publicidade, calmos, resignados, melancólicos. Talvez, no mundo interior, conservem a alegria da infância, muito escondida, e continuam brincando com ela. O aspecto que vemos, vivido, será para uso externo; a inocência deteriorada. Quanto ao coice... quem nunca deu um coice, que atire nos burros a primeira pedra. 

Álvaro Moreyra

6 comentários:

Anônimo disse...

obrigada, Furtado, foi muito feliz esta tua escolha de hoje.
beijo.
M.

Ma Ferreira disse...

Furtado..
Poxa..que bacana seu texto.
Bom pra reflexão.

Parabaéns por navegar em tandos mares da escrita!

Bom domingo!!

✿ chica disse...

Bela escolha,Rosemildo!

Voltei ontem após a cirurgia do maridão e foi tudo bem.Estamos recuperando, calma e tranquilamente.

abraços,chica

Andradarte disse...

.....mas que magoam....isso é verdade...
Belo texto
Abraço

Flor de Lótus disse...

Olá,Furtado!!
Belo texto!
Uma ótima semana!
Beijosss

Tais Luso disse...

Gostei do texto, mas esta foto... Mil vezes o Burrinho do que homens capazes de chegar a tanto desprezo e a tamanha crueldade. Vejo tal sofrimento destes animais todo o santo dia nas ruas da cidade.
Mas entendi, sim, o texto.

Beijos, Rosemildo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...