terça-feira, 18 de outubro de 2011

Infância.


INFÂNCIA 

À noite (e lá por fora ia a tormenta...) 
Eu pedia a Mamãe:  —Conta uma história! 
E ouvia... Cabecinha sonolenta, 
Via os reinos de fada — via a Glória. 

(Havia a ventania e a merencória 
Chuvarada, nas telhas, barulhenta). 
— “Era uma vez...” É incenso na memória 
aquela voz embaladora e lenta! 

Hoje (que diferente é cada idade!) 
Mamãe foi ver as fadas... foi talvez 
morar no Reino da Felicidade! 

Hoje sou homem, sou, vejam você. 
Aì! Vindo a noite e vindo a tempestade 
Só da Saudade escuto: — Era uma Vez! 

Murilo Araújo 


O Poeta Murilo Araújo nasceu na cidade de Serro, Minas Gerais, Brasil, em 26 de outubro de 1894. Ele é um dos expoentes do Modernismo. Estreou em 1917, com o livro Carrilhões -cinco anos antes da Semana de Arte Moderna, evento do qual participou-. Seguiram-se a este livro A galera (escrito em 1915, mas publicado anos depois), Árias de muito longe (1921), A cidade de ouro (1927), A iluminação da vida (1927), A estrela azul (1940) -esta obra foi traduzida pelo poeta uruguaio Gaston Figueira para o espanhol com o nome La Estrela Azul e publicada em Nova York (EUA)-, As sete cores do céu (1941), A escadaria acesa (1941), O palhacinho quebrado, A luz perdida (1952) e O candelabro eterno (1955). A obra em prosa limita-se a quatro livros: A arte do poeta (1944), Ontem, ao luar (1951), uma biografia do compositor Catulo da Paixão Cearense, Aconteceu em nossa terra (pequenos casos de grandes homens) e Quadrantes do Modernismo Brasileiro (1958). Murilo Araujo também traduziu o livro O inspetor geral, do escritor russo Nikolai Gogol (Sorotchintsi, 1809 – Moscou, 1852). Quer ler mais? 

Fonte: http://www.oocities.org/athens/agora/9443/Murilo.htm 

Visite também:

7 comentários:

Andradarte disse...

Das palavras que mais pronuncio......
Saudade.......
Abraço

✿ chica disse...

Linda e emocionante poesia! Adorei ler! abração,chica

José María Souza Costa disse...

Tenho muita saudades de um monte de coisas. Da minha infancia, então?! Copiando Casimiro de Abreu, até, da aurora da minha vida...rsrsr...belissima mesma, a sua postagem. Tenha um dia lindo, amigo.
Felicidades, sempre

Everson Russo disse...

Um belo poema carregado de saudades...abraços de bom dia pra ti meu amigo.

Fatima disse...

Que lindeza sÔ!
Bjs.

Flor de Lótus disse...

"Era uma vez" realmente são palavras mágicas que nos fazem voltar no tempo.
Beijossss

RELTIH disse...

EXCELENTÍSIMO TEMA!!!
UN ABRAZO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...