sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Ecce Homo.


ECCE HOMO 

Desbaratamos deuses, procurando 
Um que nos satisfaça ou justifique. 
Desbaratamos esperança, imaginando 
Uma causa maior que nos explique. 

Pensando nos secamos e perdemos 
Esta força selvagem e secreta, 
Esta semente agreste que trazemos 
E gera heróis e homens e poetas. 

Pois deuses somos nós. Deuses do fogo 
Malhando-nos a carne, até que em brasa 
Nossos sexos furiosos se confundam, 

Nossos corpos pensantes se entrelacem 
E sangue, raiva, desespero ou asa, 
Os filhos que tivermos forem nossos. 

Ary dos Santos, in 'Liturgia do Sangue' 


Oriundo de uma família da alta burguesia, José Carlos Ary dos Santos, conhecido no meio social e literário por Ary dos Santos, nasceu em Lisboa a 7 de Dezembro de 1937. 

Aos catorze anos, a sua família publica-lhe alguns poemas, considerados maus pelo poeta. No entanto, Ary dos Santos revelaria verdadeiramente as suas qualidades poéticas em 1954, com dezasseis anos de idade. É nessa altura que vê os seus poemas serem seleccionados para a Antologia do Prémio Almeida Garrett. 

É então que Ary dos Santos abandona a casa da família, exercendo as mais variadas actividades para seu sustento económico, que passariam desde a venda de máquinas para pastilhas até à publicidade. Contudo, paralelamente, o poeta não cessa jamais de escrever e em 1963 dar-se -ia a sua estreia efectiva com a publicação do livro de poemas "A Liturgia do Sangue”. Quer ler mais?

Fonte: http://www.citi.pt/cultura/literatura/poesia/ary_dos_santos/ary_biog.html

Visite também: 

5 comentários:

✿ chica disse...

Muito lindo, profundo!! abração,ótimo fds,chica

Everson Russo disse...

Muito belos e fortes versos...abraços de bom final de semana pra ti meu amigo.

Fatima disse...

Ave Maria!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Bjs.

RELTIH disse...

TREMENDA ORACIÓN!!!!
UN ABRAZO

José María Souza Costa disse...

Uma canção para a Paz interior. Uma sedução, para os sonhos.
Gostei, de verdade, amigo.
Abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...