quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Quem fez?


QUEM FEZ? 

Quem te deu 
o direito 
de molhar meus olhos, 
de suar minhas mãos 
de por na canção 
um suspiro de dor? 
Quem te fez 
tão fascínio 
teu riso um encanto 
a me prender? 
Quem fez tua voz 
tão cariciosa 
e estes olhos tão serenos, 
dois pontos de encontro 
de minha alma aflita? 

Tânia Martins 


Elvira Tânia Lopes Martins, filha de Edvardes Santana Martins e de sua esposa, Ana Evangelina Lopes Martins, fez os estudos primários em sua terra natal, vindo a Caetité para estudar o ginasial. Desde os dez ou onze anos começou a versejar, e teve os seus trabalhos recitados nas datas cívicas e solenes de sua terra natal. Em Caetité, cidade com secular tradição educacional, vivenciou a vida cultural, publicando a sua primeira poesia ("Sou") no jornal universitário de Salvador O Shalom. Tendo cursado o Magistério, graduou-se em 1975. Retornou ao distrito onde nasceu, lecionando até 1985. Ali ajudou na fundação do Centro Educacional Cenecista Padre Anchieta (do qual foi vice-diretora), acumulando, de dezembro de 1976 a 1982, os trabalhos do correio local. Em 1986 transferiu-se definitivamente para Caetité, por razões familiares. Lecionou por breve período no Instituto de Educação Anísio Teixeira (IEAT) e no G. E. Monsenhor Bastos. Começou a publicar os seus poemas nos jornais Tribuna do Sertão, O Tibagi (de Telêmaco Borba, no Paraná) e O Impacto (de Vitória da Conquista). A partir da década de 1990 colaborou no jornal Imagem, com seus poemas e também na redação e revisão. Em 1993 lançou o seu primeiro livro de poemas – Folha Solta – com apoio de Francisco Adauto R. Prates. Ali reuniu algumas das poesias escritas ao longo de sua vida, num primeiro voo solo. Em agosto de 2000 publicou o livro Velas, que chegou a ser adotado como paradidático em atividades pedagógicas na cidade de Caetité. Em 2002 lançou o seu terceiro livro poético: Questão de Escolha, expondo a maturidade de seu verbo lírico. 

Outros trabalhos: Verso Natural, 2004 Pura Beleza, 2004 O Medo e a Ternura, 2005

Fontes: Wikipédia.

Visite também o nosso novo espaço:

15 comentários:

Fatima disse...

Que mistério pode haver
Na lágrima de uma mulher
Quando abre o seu segredo?
Que momentos de aflição
Há no tremor da sua mão
Onde esconde os seus medos?

Guilherme Arantes

Bjs.

RELTIH disse...

EXCELENTE!!!!!
UN ABRAZO

Livinha disse...

Se posso responder, chego cá e digo:
Foi o encanto...
Os olhos se enaltecem
o rosto então se enrubece
e fica a dispor do feitiço
que a gente nunca mais esquece...

Olá meu amigo!!!

Chegando novamente.
Assim tem sido meus dias
de colheita simplesmente
um cadinho aqui, outro acolá,
e a bendita inspiração
pedindo pra eu poetar,
e dizer aos meus amigos
que quando penso que estou
indo, já de pronto tenho que voltar...

Não é a toa que São Paulo é a terra da garoa,
os olhos de cá estão sempre a se molhar e a poesia sem licença
salta pra lá, salta pra cá...

Lindo dia pra ti

Bjs

Livinha

✿ chica disse...

Tuas escolhas são maravilhosas!Linda!abração,chica e tudo de bom!

Everson Russo disse...

Com certeza o amor fez tudo isso,,,a esperança de encontrá-lo...abraços de bom dia pra ti meu amigo.

Malu disse...

Pois sim, as lágrimas que hoje derramo são só de emoção.
As de tristeza já derramei todas...
Lindo este poema.
Abraços

Graça disse...

Quem te deu o direito?...
Quem te deu esse direito de me tornar sua amiga, me fazer emocionar tanto com tua amizade e carinho, meu querido?
rsrs
Olha que já me cativaste, e seremos parceiros nessa caminhada da Literatura, hein?
Lindo e instigante poema! Essa mulher é fera.
Um grande abraço, Furtado.
Esteja com Deus, sempre!

Zil Mar disse...

Que lindOOOO!

adoro as novidades...e vc tem todo o direito do mundo de apresentá-las...


um grande beijo...



Zil

Antônio Henrique disse...

Muito bom.

contemplamos a literatura e ainda a história da vida de quem a fez.

Abraço.
(...)

Dja disse...

Que lindooooooooo

beijos

ANA ROOS disse...

Ninguém tem esse direito, mas nós é que permitimos, acreditando que o amor não pode ser capaz de trazer a dor consigo... por mais que a gente saiba impossível, a gente se encanta, se deixa levar, se abre e quando vê acaba por chorar... mas faz parte... ao menos as lágrimas lavam o coração e a alma e nos permitem de novo acreditar...

beijos

M@ria disse...

Estou colhendo cada gota de esperança pra transbordar em versos de felicidade.

(Sirlei L. Passolongo)

Beijos e o meu carinho....M@ria

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida

Quem te deu
o direito
de molhar meus olhos...

Isso é espetacular...
Não podemos dar esse direito a ninguém...
Abraços fraternos de paz

Carla Fernanda disse...

LIndo!!
Foi Deus que fez!!!!!
Beijos Rosemildo!
Carla

Tânia Martins disse...

Agradeço pela honra que me deste de postar um dos meus poemas e agradeço tb a todos os amigos que teceram comentários.
Abraços de paz e luz.
Tânia Martins

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...