quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sebastião Alba.


SEBASTIÃO ALBA

O que restava do odre
Tu o bebeste

Dos veios mesmo da terra

Só um rio te contempla
zambeziando

E o mar se perde
Onde navegas

O que restava do odre

E deus
Apascentando a sua
sede

Onde te ris
Torre
E chama

Luís Carlos Patraquim


Luís Carlos Patraquim nasceu em Lourenço Marques (actual Maputo), Moçambique, em 1953. Colaborador do jornal “A Voz de Moçambique”, refugia-se na Suécia em 1973. Regressa ao país em Janeiro de 75 integrando os quadros do jornal “A Tribuna”. Membro do núcleo fundador da AIM (Agência de Informação de Moçambique) e do Instituto Nacional de Cinema (INC) onde se mantém, de 1977 a 1986, como roteirista/argumentista e redactor principal do jornal cinematográfico “Kuxa Kanema”. Criador e coordenador da “Gazeta de Artes e Letras” (1984/86) da revista “Tempo”.

Desde 1986 residente em Portugal, colabora na imprensa moçambicana e portuguesa, em roteiros para cinema e escreve para teatro. Foi consultor para a “Lusofonia” do programa “Acontece”, de Carlos Pinto Coelho e é comentador na RDP-África.

Publicou “Monção” (1980); “A Inadiável Viagem” (1985); “Vinte e tal novas formulações e uma elegia carnívora” (1992); “Mariscando Luas”, em parceria com Chichorro e Ana Mafalda Leite, (1992); “Lidemburgo Blues” (1997 e “O Osso Côncavo”, 2005. Foi distinguido com o Prémio Nacional de Poesia, Moçambique, em 1995.

Fonte: http://www.jornaldepoesia.jor.br/

9 comentários:

Zil Mar disse...

Mais uma lição...não conhecia o poeta....muito interessante as palavras usadas na escrita...


um grande abraço amigo!



Zil

RELTIH disse...

TREMENDA BOHEMIA!!!!
UN ABRAZO

Celylua - O blog das Letras disse...

Olá Rosemildo,
Saudades poéticas, rsrs

Tenho muito apreço e reverencia as suas brilhantes postagens, pois através delas os nobres escritores são contemplados neste belíssimo universo das letras.
Parabéns pela brilhante postagem!
Beijo no coração.

Everson Russo disse...

Versos intensos,,,fortes e muito reflexivos...abraços de bom dia pra ti meu amigo.

Graça Pereira disse...

Como zambeziana/moçambicana, agradeço esta postagem! Poema dedicado a SEBASTIÃO ALBA ( Dinis Moás Gonçalves, de seu nome) meu amigo de muitas horas, algumas de jornalismo e que nos deixou de um modo trágico. Luis Carlos Patraquim foi sempre amigo de Dinis e tambem ete, tem poemas dedicado ao escritor e jornalista!
É bom encontrá-los aqui!
Kanimambo!
Bjs
Graça

Alala Sims disse...

Gostei muito dos versos, lindo. Obrigado pela curiosidade!

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa noite Caro amigo!
Versos muito sentidos!
abraço fraterno
Maria Alice

Sandra Botelho disse...

Lindo poema...
Obrigada por compartilhar conosco.Bjos achocolatados

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Um poema lindíssimo, adorei e deixo um beijinho carinhoso.

Sonhadora

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...