quinta-feira, 21 de julho de 2011

Ninguém meu amor.


NINGUÉM MEU AMOR

Ninguém meu amor
ninguém como nós conhece o sol
Podem utilizá-lo nos espelhos
apagar com ele
os barcos de papel dos nossos lagos
podem obrigá-lo a parar
à entrada das casas mais baixas
podem ainda fazer
com que a noite gravite
hoje do mesmo lado
Mas ninguém meu amor
ninguém como nós conhece o sol
Até que o sol degole
o horizonte em que um a um
nos deitam
vendando-nos os olhos

Sebastião Alba


Dinis Albano Carneiro Gonçalves, cujo pseudónimo é Sebastião Alba (Braga, 11 de Março de 1940 - 14 de Outubro de 2000), é um ilustre escritor nacionalizado moçambicano. Pertence à jovem vaga de autores moçambicanos que vingam na literatura lusófona.

Nasceu em Braga, onde viveu durante anos. Radicou-se, juntamente com a sua família, em 1950, em terras moçambicanas e só voltou a Portugal em 1984, transladando-se novamente para a «Cidade dos Arcebispos», Braga. Mas foi em Moçambique que se formou em jornalismo, e leccionou em várias escolas, e contraiu matrimônio com uma nativa.

Publicou, em 1965, Poesias, inspirado na sua própria biografia. Um dos seus primeiros poemas foi Eu, a canção. Os seus três livros colocaram-no numa posição cimeira no ambiente cultural bracarense.

Faleceu com 60 anos, atropelado numa rodovia. deixa um bilhete dirigido ao irmão: «Se um dia encontrarem o teu irmão Dinis, o espólio será fácil de verificar: dois sapatos, a roupa do corpo e alguns papéis que a polícia não entenderá»

Poesias, Quelimane, Edição do Autor, 1965; O Ritmo do Presságio, Maputo, Livraria Académica, 1974; O Ritmo do Presságio, Lisboa, Edições 70, 1981; A Noite Dividida, Lisboa, Edições 70, 1982; A Noite Dividida,(O Ritmo do Presságio / A Noite Dividida / O Limite Diáfano), Lisboa, Assírio e Alvim, 1996; Uma Pedra Ao Lado Da Evidência, (Antologia: O Ritmo do Presságio / A Noite Dividida / O Limite Diáfano + inédito), Porto, Campo das Letras, 2000; Albas, Quasi Edições, 2003

Fonte: Wikipédia.

7 comentários:

Ma Ferreira disse...

Lindo poema escolhido por vc.
Confesso que não conhecia este autor.
Agora ja sei um pouquinho..rs

Um bj..

Ma

Ps. as quintas eu posto no www.tessiturapoetica.com
Acabei de fazer a postagem.. ta fofinha!!

Andradarte disse...

...o espólio do poeta...são uns papeis que ninguém entende...
Gostei de conhecer..
Abraço

Everson Russo disse...

Ninguem conhece melhor o sol,,,a lua...a vida,,,do que quem realmente ama...abraços de bom dia pra ti meu amigo.

RELTIH disse...

MARAVILLOSO ROMANTICISMO!!!
UN ABRAZO

Sandra Ribeiro disse...

Com certeza os poemas de Salvador Alba devem ser uma leitura maravilhosa, eu não o conheço, mas diante de tão bela poesia que vc postou aqui, preciso ir em busca de mais!!! Parabéns pelo lindo post!

Sandra Botelho disse...

Lindo demais...Os apaixondos são capazes de recriar o universo.Ao menos sentem que são.Bjos achocolatados

Carla Fernanda disse...

Belíssimo sobre o sol amigo. Amei!!!
Beijos,
Carla

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...