segunda-feira, 6 de junho de 2011

A Irmã de Caridade.


A IRMÃ DE CARIDADE

Come pray with me, my saraph-love!
My angel-lord, come pray with me!

(THOMAZ-MOORE)

Quem é esta mulher linda e joven
Tão triste, e tão severa en tal edade?
Porque o lucto e dó vestidos traja?
Cumpre um voto: – É Irmã de Caridade.

Um joven adorava tal qual ella,
Mui formoso, gentil, terno e constante:
Mas seus dias emfim eram contados,
P'r'o Creador partiu, deixou 'a amante.

E n'este mundo, só, abandonada,
Sem ter nem protector nem alegria,
Sem desvelada mãe, que a consolasse,
As tristezas da terra a sós carpia.

Pelo amante a Deus pedia a triste;
Pela mãe, pelo pae, que já não tinha:
E depois de rezar rezas tão santas,
Carpir na sepultura a triste vinha.

Un dia que ella assim a Deus orava,
Recostada na campa da mãe qu'rida;
Cançada de chorar, na sepultura
Recostada, ficou adormecida!

Julgou então ouvir da mãe as vozes,
Que a seguir vida santa a aconselhava;
Soccorrer infelizes, dar consolo
Ao mortal indigente a mãe mandava.

E a filha obedeceu; seguiu taes ordens;
E d'então para cá com anciedade,
Soccorre o infeliz, dá pão ao pobre,
Cumpre um voto: – É Irmã de Caridade.

Luís Augusto Palmeirim


Poeta pertencente à geração ultrarromântica, de nome completo Luís Augusto Xavier Palmeirim, nascido a 9 de agosto de 1825, em Lisboa, e falecido a 4 de dezembro de 1893, na mesma cidade. Foi também deputado, jornalista, dramaturgo, crítico e tradutor. Proveniente de uma família de militares de alta patente, frequentou o Colégio Militar e tomou parte na rebelião da Maria da Fonte, entre 1846 e 1847, ao serviço da Junta do Porto, contra a ditadura de Costa Cabral. Foi censor do Teatro D. Maria II desde 1853 e diretor do Conservatório de Lisboa desde 1878 até à sua morte, para além de membro da Academia Real das Ciências e da Sociedade Escolástico-Filomática. Distinguiu-se como poeta, cultivando uma poesia popular de inspiração folclórica e temática cívica, influenciada pelo poeta francês Béranger. Para a popularidade dos seus versos - Lopes de Mendonça classificou-o "o mais popular dos nossos poetas modernos" -, frequentemente cantados nas ruas, recitados nos salões e nos teatros, muito contribuiu, para além do uso das rimas fáceis e dos metros tradicionais, a sua faceta real de "poeta-soldado", "poeta da liberdade", que se funde com a sua própria arte poética, por vezes explícita em fragmentos metatextuais da obra, onde proclama a "verdade" dos seus cantos, a "divina" missão da poesia, voltada para "Deus", a "pátria amada" e as "cem mil tradições que nos revela do seu passado". Participou na revista coimbrã O Trovador, deixando colaboração em vários outros periódicos como O Panorama, Revista Universal Lisbonense, Arquivo Pitoresco, Revista Contemporânea de Portugal e Brasil, A Revolução de setembro e O Ocidente. Das suas obras, destacam-se a coleção Poesias (1851; quatro edições até 1864) e o interessante livro de memórias Os Excêntricos do meu Tempo.

Fontes: http://books.google.com/
             Infopédia.

9 comentários:

Livinha disse...

Dizer que é este o caminho.
Dedicar nossas horas de sofrimento a outros que jazem de lamentos e perceber o quão fica nossas dores tão distante, a cada passo a frente, sendo a caridade o nosso doce manto...

Lindo, lindo, lindo
Poema de se desejar ter escrito.

Linda semana pra ti meu amigo

Bjs

Livinha

Everson Russo disse...

Realmente são pessoas dedicadas e especiais...abraços de boa segunda pra ti meu amigo...

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo
Primeiro poema que leio sobre irmã de caridade. Adorei.
Tenha uma linda semana
Abração

Carla Fernanda disse...

Como Wanderley também é o primeiro poema sobre irmã que leio. Gostei!
Beijos e boa semana Rosemildo!
Carla

Ira Buscacio disse...

Furtado querido, esse trabalho de jardineiro que vc faz, de colher as flores poéticas, sempre me encantam.
Bj grande e boa semana

Magia da Inês disse...

L
I
N
D
O
!

Um semana cheinha de alegrias e muita paz.

Beijinnhos.

°º♫
°º✿
º° ✿♥ ♫° ·.

Tais Luso disse...

Como Wanderley e Fernanda, este poema eu também não conhecia! É lindo, o tema.
Seu blog e suas postagens são sempre de primeira linha!

Um beijo, Rosemildo, obrigada pela partilha.

Tais Luso

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa noite
Lindo poema.
Irmãs de caridade, são pessoas muito especiais.
Sua vida é doada ao próximo por amor a Deus!
Aqui está o segredo do Amor!
Amar incondicionalmente.
Uma boa semana!
abraço fraterno
Maria Alice

O Impenetrável disse...

incrível como o seu blog é um enciclopédia vasta e de bom gosto sobre a literatura. em nenhum momento é previsível. é sempre um prazer por aqui e ler esses poemas maravilhosos.

grande abraço pra você!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...