segunda-feira, 30 de maio de 2011

Encontro.


ENCONTRO

Vinha descendo o Mal, o Bem subindo.
Na curva de um caminho se encontraram
O mal desdém mostrou e o Bem sorrindo
Humilde deu bons dias. Conversaram.

"Eu sou, dizia o Mal, quem repelindo
Os Homens pela Dor de um Bem buscaram.
A Dor é a mãe de tudo, pois carpindo
Um Deus não tendo os Homens o inventaram.

E quem és, humilde, tal te vejo?
Qual é no Mundo, ó Bem, o teu desejo?
Maiores teus poderes são que os meus?

"Eu sou a causa apenas do que existe.
Sem mim seria o Mundo um ermo triste.
E não teria causa o mesmo Deus."

Rui de Noronha


Escritor moçambicano, António Rui de Noronha, nascido a 28 de Outubro de 1909, em Lourenço Marques (hoje, Maputo), e falecido a 25 de Dezembro de 1943, na mesma cidade, desde logo mostrou e deixou transparecer, na sua vida e na sua escrita, um temperamento recolhido, uma personalidade introvertida e amargurada. Foi, sem dúvida, um homem infeliz. Nunca chegou a concretizar, em vida, o grande sonho de publicar o seu livro de poemas, que se diz ter intitulado Lua Nova . Seria, postumamente, um grupo de amigos que viria a cumprir o seu desejo, ao publicar, em 1943, Sonetos, em parte composto de sonetos publicados na imprensa local.

Muitos dos seus poemas, porém, ainda se encontram inéditos, ou então esquecidos na Imprensa, como é o ocaso de "O Brado Africano", na década de 30.

Poeta de transição, e vivendo numa época em que os escritores moçambicanos ainda não tinham tido a oportunidade de acordar a sua consciência para as mensagens poéticas de conteúdo social, caracteristicamente moçambicanas, por outro lado limitado como estava pela repressão cultural em que utilizar a África real como fundamento/tema-chave era imediatamente alvo do exercício diário da Censura, a obra de Rui de Noronha ficará marcada como o primeiro sinal expressivo, o precursor mesmo, de uma nova fase da poesia moçambicana, que viria mais tarde a alcançar o verdadeiro ponto de ruptura com o passado.

Fonte: http://www.pluraleditores.co.mz/

14 comentários:

Livinha disse...

"Eu sou a causa apenas do que existe.
Sem mim seria o Mundo um ermo triste.
E não teria causa o mesmo Deus."

Meu amigo, essa foi de perder a fala.
Cá estou sem palavras para comentar tão belo, profundo e verdadeiro verso...

Já pensaste... se toda a causa fosse maioria, se o peso desse sem medida, atravessado o bem, jamais resistiria...

MA-RA-VI-LHO-SO!!!!

Profundo poeta...

Feliz semana pra ti

Bjs

Livinha

Pena disse...

Prodigioso e Fabuloso Amigo de Bem:
"...Escritor moçambicano, António Rui de Noronha, nascido a 28 de Outubro de 1909, em Lourenço Marques (hoje, Maputo), e falecido a 25 de Dezembro de 1943, na mesma cidade, desde logo mostrou e deixou transparecer, na sua vida e na sua escrita, um temperamento recolhido, uma personalidade introvertida e amargurada. Foi, sem dúvida, um homem infeliz. Nunca chegou a concretizar, em vida, o grande sonho de publicar o seu livro de poemas, que se diz ter intitulado Lua Nova . Seria, postumamente, um grupo de amigos que viria a cumprir o seu desejo, ao publicar, em 1943, Sonetos, em parte composto de sonetos publicados na imprensa local..."

Excelente homenagem. Só de alguém precioso, solidário e de um ser humano perfeito e extraordinaário.
Bem-Haja, pela magia bem real.
Abraço amigo a si e ao seu talento gigantesco.
Com respeito, estima e consideração enormes pela sua perfeição.
Sempre a admirá-lo

pena

Extraordinário.
Bem-Haja, enorme amigo que só concebe o encanto literário.
Adorei.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosemildo: um soneto de desnudar nossa alma: fala do mundo e nos afeta diretamente - omal, espinho; que me faz desnudar a razão da rosa...
abraços com ternura, jorge bichuetti
www.jorgebichuetti.blogspot.com

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amiga
A luta entre o bem e mal sempre existiu, e sempre torceremos para que o bem vença.
Tenha uma linda semana
Grande abraço

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Mais um poema muito belo que adorei ler e conhecer o poeta.

Beijinho
Sonhadora

✿ chica disse...

Maravilha,Rosemildo!Uma linda nova semana pra ti!abraços,tudo de bom,chica

Everson Russo disse...

E será sempre essa a eterna luta do bem contra o mal...grande abraço de boa semana pra ti meu amigo.

Lu Nogfer disse...

Ola meu amigo Furtado!

Que poema mais profundo!

É a grande guerra entre o bem e o mal, sabendo-se que a prevalencia do bem,traz a tona toda a diferença a existencia de Deus!

Esse seu canto sempre me encanta com otimas reflexoes!
Parabens pela bela escolha e pelas grandes informaçoes literarias, sempre!

Um terno beijo!

Linda semana a ti e todos os seus!

Andradarte disse...

Mais um poeta Africano que desconhecia...
Abraço

O Impenetrável disse...

maravilhoso esse poema, realmente fascinante e dono de uma verdade incrível. achei simplesmente maravilhoso. já vou pesquisar mais sobre o autor em si.

grande abraço, realmente as escolhas que você faz para o blog são de um bom gosto imenso.

Mara disse...

Boa tarde, Rosemildo!
Eu não conhecia esse poeta moçambicano.
Gostei muito do jeito dele escrever.
Ótima semana pra ti!
Beijo,
Mara

RELTIH disse...

MUY INTERESANTE. COMO TODO LO QUE SE PUBLICA AQUÍ!!
UN ABRAZO

Flor de Lótus disse...

Oi,Romildo!Sabe que eu estou mudando minha visão do bem e do mal, do certo e do errado, acho que na verdade é mais uma questão de ponto de vista do que qual uqer outra coisa.
Uma ótima semana!
Beijoss

Carla Fernanda disse...

Lindo Rosemildo a grandeza desse bem que é maior que o mal. Deus o criou em nós.
Beijos e boa semana!
Carla

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...