quarta-feira, 13 de abril de 2011

Pancada Grande.


PANCADA GRANDE

Refúgio de andorinhas,
a cachoeira da Pancada Grande,
como um véu sagrado,
protegeu o casal enamorado,
selando um compromisso
mágico, colorido e acalorado.

Sob a força da água corrente
ouvi as três pancadas
da cachoeira, marcando o compasso
das batidas dos corações.

Batidas aceleradas,
cheias de vida e ação,
buscando preencher os espaços,
físico e espiritual,
num verdadeiro ritual,
criando elos de aço
que não podem ser rompidos
nem corrompidos.

— O elo une amizade, sentimentos,
alegrias, sofrimentos
e experiências de vidas passadas.

Sérgio Mattos


Sérgio Augusto Soares Mattos (Fortaleza, 1 de julho de 1948) é um poeta, jornalista, compositor e professor universitário brasileiro.

O jornalista, nascido em Fortaleza, se mudou para a Bahia em 1958, onde começou a se interessar pelos estudos ligados a área televisiva. Ele conta que acompanhou a história da televisão baiana desde o princípio e daí despertou uma grande vontade em analisar o que chama de ‘caixa mágica’. “Comecei como jurado em uma televisão da Bahia e foi daí que se iniciou o meu envolvimento com a televisão”, contou ele durante a palestra.

A partir de suas afinidades, o autor direcionou seus estudos para a área televisiva, se aprofundando durante seu mestrado e doutorado no estado do Texas, nos Estados Unidos. Durante sua estadia na América do Norte, ele conta que teve acesso a diversas informações que não podiam circular no Brasil devido à ditadura militar, o que contribuiu e fortaleceu sua formação acadêmica. A partir de então se tornou uma referência e um dos maiores escritores voltados para o tema televisão. Ao todo já publicou mais de 43 livros, em que 14 tratam sobre televisão.

Obras:

Nas Teias do Mundo (1973);
O Vigia do Tempo (1977);
Time's Sentinel (1979);
Já Não Canto, Choro (I No Longer Sing, I Cry) (1980);
Lançados ao Mar(1985);
Asas Para Amar (1995);
Estandarte (1995);
Trilha Poética (1998);
Étendard (1998);
Fio Condutor (2005)

Fontes: http://observatoriodaculturaufsj.blogspot.com/
              Wikipédia.

17 comentários:

Magia da Inês disse...

♫♫.•*¨*•♫♫¸

Amigo, a cachoeira é tão bonita quanto a poesia.
Boa quarta-feira!
Beijinhos.
ઇઉ ✿ܓܓ♫♫
°•♥° Minas
°°•✿♫°.•

✿ chica disse...

Linda poesia para um lindo lugar que deve ser ótimo de ver!abraços,chica

Rosane Marega disse...

Que maravilhoso lugar, gostei de tudo.
Beijossssssssss

Andradarte disse...

Belo poema...à beleza da Natureza...
Abraço

Everson Russo disse...

Belissimo poema meu amigo,,,abraços fraternos de bom dia...

Carla Fernanda disse...

Adoooro cachoeiras amigo!
E que belo poema do ritmo das suas quedas marcando compasso no coração.
Bom dia!!

Zélia Guardiano disse...

Um verdadeiro tesouro em forma de postagem, Rosemildo!
Grata, amigo!
Forte abraço.

Fatima disse...

Linda poesia!
Agora preciso conhecer a cachoeira!
Bjs.

Elaine Crespo disse...

Oi Furtado!

Saudades de você!
e seus belos postes!

Aqui além de ler belos poemas ainda conhecemos seus autores, aulas de literatura!
Adoro esta tua forma de postar!

Fica com o sol desta terra linda e aqui Recife sente sua falta!

Beijos
Elaine

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Um poema lindo e um lugar maravilhoso que descreve...transmite um silêncio e uma calma, que faz bem à alma.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Meias de Seda (Suzy) disse...

Sem dúvida, um poema que emociona. Não conhecia o Sergio, vou pesquisar outros poemas dele.
Bjos ;)

Graça Pereira disse...

Este é um poema tão fresco como esta bela cachoeira...É um remanso de paz e emoções.
Obrigada por nos teres trazido este poeta de alma grande!
Beijo
Graça

Livinha disse...

Uma canção romantica a formalizar os laços de afinidades

Belíssimo poema meu amigo.

Saudade daqui, saudade de ti.
Ando meio trôpega, brigando com as horas, brigando com o tempo.
Vezes outra dá nó no pensamento e fico chão, sem inspiração...
Mas tá valendo, no fim a gente acaba fazendo a mesma lição...

Dia bom pra ti

Bjs

Livinha

RELTIH disse...

COMO SIEMPRE: EXCELENTE POST.
UN ABRAZO

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo
Vou sempre para uma cidade cercada de cachoeiras, nada mais lindo. Realmente um convite ao amor.
Grande abraço

Flor de Lótus disse...

Nossa uma cachoeira por perto deve ser o máximo ver aquela água fluindo, ficar ali sentando admirando a paisagem...
Beijosss

dinaaciganinha disse...

Olá Rosemildo! Desculpe a ausência amigo querido, probeleminhas com a net.
que coisa mais linda de se ler, dá até pra ouvir o cantarolar das águas saudando este compromisso!
Peguei o Selinho que está disponibilizado para os amigos!
Saudades amigo!
bjsss!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...