segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Os Incompreendidos.



OS INCOMPREENDIDOS

Ó solitários príncipes de lenda,
Dolorosos irmãos de Antonio Nobre,
Tristes no manto de ouro, que vos cobre,
Sem ter um coração que vos entenda!

Em vossas almas, que ninguém desvenda,
Um sino plange em funerário dobre:
Wilde, humilhado; Cruz e Souza, pobre;
Quental, sem luz; Rudel, sem Melisenda...

Bendito vosso trágico destino!
Através da Beleza, ó torturados,
Vosso infortúnio se tornou divino!

Se tivestes assomos de revolta,
Não fostes mais do que anjos exilados,
Chorando, em desespero, pela volta!

Paulo Gonçalves


Francisco de Paula Gonçalves, conhecido como Paulo Gonçalves, (Santos, 2 de abril de 1897 - Santos, 8 de abril de 1927) foi um poeta e dramaturgo brasileiro.

Era filho de Benvinda Fogaça Gonçalves e Manuel Alexandre Gonçalves. Exerceu a função de jornalista em diferentes periódicos em São Paulo e em Santos. Foi autor de peças teatrais, do período simbolista, de elevado refinamento e de grande sucesso.

Foram seus contemporâneos, envolvidos intensamente com sua produção teatral, figuras expoentes do teatro brasileiro tais como Oduvaldo Viana, Leopoldo Fróes, Procópio Ferreira e Iracema de Alencar. Sua produção na dramaturgia inclui as peças em verso: "Núpcias de D. João Tenório", "Quando as Fogueiras se Apagam", "O Juramento" e "1830". Foi, também, autor das peças em prosa: "As Noivas", "As Mulheres não Querem Almas" e " A Comédia do Coração".

Foi, ainda, um poeta de rara sensibilidade, cuja obra só não é mais extensa dada sua morte prematura. O "poeta do coração", como era chamado, foi contemporâneo de Vicente de Carvalho e de Martins Fontes, também poetas santistas de grande reconhecimento nos meios literários. Sua única obra poética publicada foi "YARA", que é uma coletânea de poemas vinda a público em 1922. Um segundo livro, "Lírica de Frei Angélico", fragmentário e na forma de manuscrito não chegou a ser publicado devido à morte do poeta.

Fonte: Wikipédia.

8 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Bem clássico esse poema. Não conhecia.
Grande abraço

Everson Russo disse...

Belissimo poema,,,um forte abraço de otima semana pra ti.

Rosane Marega disse...

ixi...gostei de novoooooo!!!
Beijosssssss

Magia da Inês disse...

Amigo...
Toda vez que passo aqui, sempre aprendo muito sobre poesia!...
Seu gosto é impecável...
Esse soneto é de extrema sensibilidade, não é atoa que Paulo Gonçalves foi o poeta do coração.
Boa semana!
Beijinhos.º♫♫
♫♫ Minas°º
•*• ♫♫
♫♫° ·.

RELTIH disse...

GRAN TEXTO. UN GUSTO VISITAR TU ESAPACIO.
UN ABRAZO

Flor de Lótus disse...

Incompreendido!?E será mesmo que alguém é compreendido nessa vida, na sua totalidade, no seu mundo de dúvidas, medos,amores e incertezas?
Uma otima semana!
Beijos

JB disse...

É entrar aqui e a rte brinda-nos com o conhecimento de poetas desconhecidos até então. Ainda bem que há quem se dedica, sempre na emoção poética a partilhar escritores desta natureza.

Parabéns pela sua dedicação... aos outros!

Beijinho

Lou Witt disse...

Passando pra matar a saudade.

beijoooo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...