sábado, 22 de janeiro de 2011

Aventura na casa atarracada.


AVENTURA NA CASA ATARRACADA

Movido contraditoriamente
por desejo e ironia
não disse mas soltou,
numa noite fria,
aparentemente desalmado;
- Te pego lá na esquina,
na palpitação da jugular,
com soro de verdade e meia,
bem na veia, e cimento armado
para o primeiro a andar.
Ao que ela teria contestado, não,
desconversado, na beira do andaime
ainda a descoberto: - Eu também,
preciso de alguém que só me ame.
Pura preguiça, não se movia nem um passo.
Bem se sabe que ali ela não presta.
E ficaram assim, por mais de hora, 
a tomar chá, quase na borda,
olhos nos olhos, e quase testa a testa.

Ana Cristina César


Ana Cristina César nasceu no Rio de Janeiro. Viveu um ano em Londres, em 1968. Escreveu para revistas e jornais alternativos, saiu na antologia 26 Poetas Hoje, de Heloísa Buarque. publicou, pela Funarte, Mestrado em comunicação, lançou livros em edições independentes: Cenas de Abril e Correspondência Completa. Dez anos depois, outra vez a Inglaterra, onde, às voltas com um M.A. em tradução literária, escreveu muitas cartas e editou Luvas de Pelica. Ao retornar, descobriu São Paulo e fixou residência no Rio. Trabalhou em jornalismo, televisão e escreveu A Teus Pés. Suicidou-se no dia 29 de outubro de 1983. 

Biografia constante do livro A Teus Pés, Quarta Edição, da série Cantadas Literárias da Editora Brasiliense.

13 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Um poema muito belo e como sempre toda a informação...saio sempre daqui mais cheia.

Beijinhos
Sonhadora

Elaine Barnes disse...

Tanto mtalento, um dom maravilhoso manifestado e a gente fica aqui pensando que o universo de uma pessoa é muito maior. O suicídio é muito triste. Montão de bjs e abraços

Rosane Marega disse...

Poema lindo e históra triste...
Beijossssssssssss

Maria Valadas disse...

Poema que me encheu o coração... pelo excelente conteúdo.

Fim triste de quem o escreveu.
Finou- se a autora, mas a sua obra, será eterna.

Obrigada pela partilha, Rosemildo.

Bom fim de semana.
Beijos.

Maria

Everson Russo disse...

Belissimo poema meu amigo,,,abraços fraternos de bom sabado pra ti.

Magia da Inês disse...

Olá, amigo!
O poema é muito criativo, uma brincadeira de bom gosto com as rimas...
Pena que tanta sensibilidade tenha acabado em suicídio.
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil.
✿ܓܓ ♫
°º
•*• ♫° ·.

Marina-Emer disse...

Con todo mi cariño te deseo un feliz fin de semana
Las hojas del calendario van cayendo pero
Tus elogiosas palabras caen en mi corazón
Después de leerlas en tu comentario…gracias
Un abrazo
Marina

Anne Lieri disse...

Um texto tão bonito,uma escritora realmente maravilhosa!Triste seu fim!Adorei a homenagem,Furtado!Bjs,

Zil Mar disse...

Oi amigo...eu não a conhecia...adorei o poema...e que bom saber de uma escritora....


Bjos e bom dia de sábado!



Zil

Flor de Lótus disse...

Oi,Querido!Lindos,mas tristes versos,mas nem tudo é perfeito não é mesmo?
Beijosss

RELTIH disse...

SIEMPRE ES UN HONOR VISITAR SU ESPACIO. FULLL POST.
UN ABRAZO

Maria disse...

Amigo excelente escolha, lindo poema. É triste quando alguém decide por um fim à vida.
Tenha um maravilhoso Domingo.
beijinhos
Maria

Í.ta** disse...

ah, ana cristina, maravilhosa por demais em seus cortantes versos tão bem ritmados.

abraços, meu caro!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...