terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Murmúrios.


MURMÚRIOS

Dizem que são murmúrios os ecos
que chegam do fundo deste mar
São palavras soltas aos ventos
frases melódicas para somar

Murmúrios que escondem feitiços
segredos e estórias por desmontar
São lamentos de cores mestiços
São sombras desenhadas ao luar

No fundo deste mar o silêncio fala
grita e clama como a força das marés
Não longe essa voz alguém embala
Não longe os ecos se escutam no convês

No fundo deste mar há tormentos
Há vontade de um silêncio romper
Querer e vontade não são lamentos
No fundo, este mar esconde um poder!

Waldir Araujo


Waldir Araujo nasceu em 1971, na Guiné-Bissau. Desde muito cedo que mostra interesse pela literatura. Em 1985 vence um prêmio literário no Centro Cultural Português de Bissau que lhe concede a sua primeira viagem a Portugal, onde prosseguiu os estudos. Frequenta o curso de Direito em Lisboa, que acaba por abandonar, para abraçar o Jornalismo. Desde 1996 que é jornalista, exercendo atualmente a profissão na RTP, Rádio e Televisão de Portugal - Canal África.

Em Fevereiro de 2008 publica o seu primeiro livro, uma recolha de contos intitulado "Admirável Diamante Bruto e Outros Contos" que veio apresentar na 27ª Feira de Livro de Brasília. Tem vários textos, prosa e poesia publicadas dispersamente em revistas e jornais literários de Portugal e Brasil.

Fonte: http://www.antoniomiranda.com.br/

10 comentários:

Retalhos de Amor disse...

E a Poesia sente
Transgride e transmite
O sentir!!!

Leitura Maravilhosa...
Obrigado!!!
Iza

Chica disse...

Muito linda, mais uma escolha feliz!abraços, lindo dia,chica

Wanderley Elian Lima disse...

Muito bom o poema, e interessante a trajetória do poeta.
Abração

Everson Russo disse...

Murmurios são lamentos da alma...um forte abraço de bom dia pra ti amigo...paz de Jesus sempre.

Valéria Sorohan disse...

Que linda escolha amigo.
Eu também viajo muito por esses mares.

BeijooO*

Rosane Marega disse...

Lindo, lindo mesmo Rosemildo!
Como sempre ótima escolha e impecável postagem.
Beijosssssssssssss

Luci disse...

Gostei muito de sua escolha de hj.

Muito lindo .

BjOO amigo.

Livinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Livinha disse...

Sabe meu amigo,

Se fosse possível navegar em busca de todos os pensamentos de amor, de súplicas, dor e lamento no fundo do mar, quanto não haveriamos de encontrar...

Em janeiro estarei indo me encontrar com o mar, hummm imagine quanto não deixarei por lá...

Belíssimo poema, bem verdadeiro e sentido quão a sensibilidade do poeta...

Até que não se sinnta, a verdadeira alegria de Natal, não existe. Todo o demais é aparência - muitos enfeites. Porque não são os enfeites, não é a neve. Não é a árvore, nem a chaminé. O Natal é o calor que volta ao coração das pessoas, a generosidade de compartilhá-la com outros e a esperança de seguir adiante.

Noite de paz pra ti

Bjs

Livinha

JAIRCLOPES disse...

Rosemildo, teu espaço é uma pérola entre as toscas pedras que a mediocridade espalha na blogsfera. Os leitores só têm a ganhar com um blog tão interessante. Parabéns pela bela alma que você tem.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...