sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Humildade.


HUMILDADE

Senhor, fazei com que eu aceite
minha pobreza tal como sempre foi.

Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter
e se perdeu por caminhos errados
e nunca mais voltou.

Dai, Senhor, que minha humildade
seja como a chuva desejada
caindo mansa,
longa noite escura
numa terra sedenta
e num telhado velho.

Que eu possa agradecer a Vós,
minha cama estreita,
minhas coisinhas pobres,
minha casa de chão,
pedras e tábuas remontadas.
E ter sempre um feixe de lenha
debaixo do meu fogão de taipa,
e acender, eu mesma,
o fogo alegre da minha casa
na manhã de um novo dia que começa.”

Cora Coralina


Cora Coralina nasceu em 20 de agosto de 1889, na casa que pertencia à sua família há cerca de um século, e que se tornaria o museu que hoje reconta sua história.

Filha do Desembargador Francisco de Paula Lins dos Guimarães Peixoto e Jacita Luiza do Couto Brandão, Cora, ou Ana Lins dos Guimarães Peixoto (seu nome de batismo), cursou apenas as primeiras letras com mestra Silvina e já aos 14 anos escreveu seus primeiros contos e poemas. "Tragédia na Roça" foi seu primeiro conto publicado.

Em 1910 casou-se com o advogado Cantídio Tolentino Bretas e foi morar em Jabuticabal, interior de São Paulo, onde nasceram e foram criados seus seis filhos. Só voltou a viver em Goiás em 1956, mais de vinte anos depois de ficar viúva e já produzindo sua obra definitiva. O reencontro de Cora com a cidade e as histórias de sua formação alavancou seu espírito criativo.

Cora Coralina faleceu em Goiânia, a 10 de abril de 1985. Logo após sua morte, seus amigos e parentes uniram-se para criar a Casa de Coralina, que mantém um museu com objetos da escritora.

Fonte: http://www.velhosamigos.com.br

6 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Mas que a humildade, nunca seja sinônimo de submissão.
Grande abraço

Lídia Borges disse...

É quase um apelo à passividade (do outro). A humildade é algo diferente, não tem a ver com aceitação e resignação.


L.B.

Valéria Sorohan disse...

Eu comecei a ler e pensei isso é coisa de Cora Coralina, e não é que acertei?! Eu adoro!


BeijooO*

Everson Russo disse...

Belissimo, simples e sincero,,,nada melhor que a humildade nessa vida...abraços amigo e um belo final de semana pra ti.

reltih disse...

tema lleno, repleto de humildad.
un abrazo

Luciana disse...

essa mulher eh fantastica .

Eu quando leio os poemas dela,me lembro da minha avo,a maneira de pensarr das duas...
Lindo poema.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...