sexta-feira, 28 de maio de 2010

Fragmento.

http://1.bp.blogspot.com/_smF6-Mf6C2I/SrN5l-akvbI/AAAAAAAACAo/3fB5nnB7GUo/s400/Fragmentos+de+Ternura+-+Post.bmp

FRAGMENTO

O mundo é uma mentira, a glória - fumo,
A morte - um beijo, e esta vida um sonho
Pesado ou doce, que s'esvai na campa!

O homem nasce, cresce, alegre e crente
Entra no mundo c'o sorrir nos lábios,
Traz os perfumes que lhe dera o berço,
Veste-se belo d'ilusões douradas,
Canta, suspira, crê, sente esperanças,
E um dia o vendaval do desengano
Varre-lhe as flores do jardim da vida
E nu das vestes que lhe dera o berço
Treme de frio ao vento do infortúnio!
Depois - louco sublime - ele se engana,
Tenta enganar-se p'ra curar as mágoas,
Cria fantasmas na cabeça em fogo,
De novo atira o seu batel nas ondas,
Trabalha, luta e se afadiga embalde
Até que a morte lhe desmancha os sonhos.
Pobre insensato - quer achar por força
Pérola fina em lodaçal imundo!
- Menino louro que se cansa e mata
Atrás da borboleta que travessa
Nas moitas do mangal voa e se perde!...

Casimiro de Abreu

http://coelhobranco.portablogs.com/wp-content/uploads/2009/06/cASIMIRODEaBREU.jpg

Casimiro José Marques de Abreu, poeta brasileiro, nasceu no dia 4 de Janeiro de 1839, em Barra de São João, no Estado do Rio, e morreu no dia 18 de outubro de 1860, em Nova Friburgo.

Iniciou seus estudos em Nova Friburgo no Colégio Freese.

Em 1853, Casimiro embarcou para Lisboa deixando seu pai, português, José Joaquim Marques de Abreu, no Rio, onde era comerciante. Viveu 04 anos em Portugal, onde contraiu tuberculose.

Poeta nostálgico, sua solidão deu estímulo à sua vida poética. Dirigiu-se para a terra de Nova Friburgo, vindo a falecer na fazenda lndaiaçu. Seus primeiros versos, foram inspirados e baseados na saudade. Diz Casimiro de Abreu: "estando em minha casa à hora da refeição, pareceu-me escutar risadas infantis da minha mana pequena. As lágrimas brotavam e fiz os primeiros versos de minha vida, que teve o titulo "Ave Maria" Sua vocação foi contrariada por seu pai, que o obrigou a trabalhar em sua loja, privando-o das oportunidades de desenvolver sua vocação artística.

O poeta relata os seus desgostos: foi em setembro, sufocando o grito de lamento; contrariada foi a minha vocação, sentei-me à carteira do escritório e abracei-me à vida comercial, vida vulgar que esgota todas as faculdades.

Escreveu as seguintes obras: Camões e o Jau, teatro (1856); Carolina, romance (1856); Camila, romance inacabado (1856); A virgem loura Páginas do coração, prosa poética (1857); "As primaveras" (1859). Foram reunidas na Obras de Casimiro de Abreu, edição comemorativa do centenário do poeta; organização, apuração do texto, escorço biográfico e notas por Sousa da Silveira.

Casimiro foi convidado para patrono da cadeira número 6 da Academia Brasileira de Letras. Sua obra mais famosa é o livro "Primaveras".


Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

17 comentários:

Amor feito Poesia disse...

Prefiro os grandes pensadores, que com seus pensamentos, suas citações, com trechos de seus livros ou músicas, conseguem me fazer viajar, conseguem traduzir o que não sei expressar, dizem por mim o que não sei falar.

Wanessa Baptista

Beijos e carinhos à todos...M@ria

Pérola disse...

Grannnnnde Cassimiro,suas obras são um clássico.
Parabénssssssssssssssssss.
Beijos amado.

Sônia Silvino disse...

Adorei a sua preciosa visita!
Vim retribuir trazendo mil beijocas para você!!!
Meu amigo virtual é diferente...
Ele não olha nos meus olhos,
Ele vê meu coração... Meu amigo virtual é diferente...
Ele não percebe as minhas lágrimas
Percebe o momento de me confortar
Meu amigo virtual é diferente...
Ele não sorrí, ele me faz sorrir...
Meu amigo virtual...
Você não sabe...
Mas te procuro todas as noites .
Você não sabe...
Mas fico feliz quando você vem...
Olho para você, na expectativa de um sorriso...
Te espero assim como o sol espera pelo amanhecer...
Te espero assim como a Lua espera pela noite...
Certa que virá!
Não me importa se vens através de telas...
O que importa, é que venhas...
Não sei porque te escolhí como amigo...
Suas letrinhas são iguais às de todos os outros,
Apenas suas palavras são firmes...
Você consegue me fazer acreditar.
Talvez você não saiba, mas quando me falas...
Quando brincas comigo..
Quando me escutas...
Quando me amas...
Exerce a nobre tarefa de um amigo REAL.
Assim... Cativa-me...
Escuto teu sorriso através do sons do teclado.
Ouço teu coração através do meu coração,
Sinto tua alegria através da minha alegria...
Nunca deixes de vir...
Só conhecemos a importância dos verdadeiros amigos,
Quando começamos a perceber sua ausência,
Quando chamamos por todos,
E somente ele vem...
(Fátima M. de Mendonça)
Bom final de semana!!!

Helô Müller disse...

Casimiro foi dos bons! Bem nostálgico nesta bela poesia... Aliás, a imagem escolhida está linda!!
Bj meu
Helô

Chica disse...

Casemiro é maravilhoso!abraços,lindo fim de semana,chica

Everson Russo disse...

Tudo por aqui são fragmentos,,,,passanges boas e nem tão boas...e assim vamos....um forte abraços de otimo final de semana pra ti amigo....paz de Deus sempre.

♥ Lady ♥ disse...

Linda postagem, bravo!
Tenha um ótimo fim de semana.
Com carinho, Lady.

stella disse...

Quanta verità in questi versi...

Se ti fa piacere puoi prelevare il mio omaggio per te sul mio blog dei premi.

Mistério do Planeta disse...

Bela postagem!

um encanto a imagem :)

reltih disse...

muy equilibrado pensamiento.
un abrazo

Wanderley Elian Lima disse...

Acho que Casimiro tem uma visão pessimista da vida. Nem todos têm esse triste infortúnio.
Grande abraço

Anne Lieri disse...

Furtado,adoro Casimiro de Abreu pois lembro da minha infancia!Linda demais essa poesia e a história de vida dele é bem interessante!Gostei muito!Abraços,

Mistério do Planeta disse...

eu que agradeço meu caro.


gostei da riqueza deste ambiente.
andei passeando por aqui, e gostei muito da forma como encaixa as postagens.


é interessante apresentar um pouco dos escritores.

tem muitos que nem conheço... estou lendo calmamente :)

pisando no chão da poesia.

uma boa noite,
até mais.

Jenifer

Graça Pereira disse...

Lindo este poema deste poeta brasileiro que não conhecia...embora tenha uma visão triste da vida que, infelizmente, algumas vezes é realidade...
Beijo
Graça

Livinha disse...

Grande Casimiro, poeta profundo, como profunda é a sua alma. Sempre.

Sem palavras.

Castro Alves é outro, que é de arrepiar.
Segue a dica.

Feliz fim de semana pra ti meu amigo
Bjs
Livinha

REGGINA MOON disse...

Furtado,

Casimiro de Abreu dispensa qualquer comentário...simplesmente maravilhoso!!!

Linda escolha e descrição...

Grande beijo!

Bom final de semana!

Reggina Moon

(Retire no Verso & Prosa o selinho da semana em destaque pra voce...)

LadyButerfly disse...

Olá amigo... Texto maravilhoso. Queria também agradecer as tuas lindas palavras deixadas no meu bloga , a cada pasagem tua... Os meus texto são uma migalhinha perante textos tão maravilhosos como este, mas são escritos de coração... Obrigada pelo carinho. Beijão e boa semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...