quinta-feira, 4 de março de 2010

Evangelho e Alcorão.

http://4.bp.blogspot.com/_ZzzxdWDpS00/SSxTNobnfyI/AAAAAAAAAX8/rrylgj6yU6Y/s320/0,,13554003,00.jpg

EVANGELHO E ALCORÃO

Num tom de voz que a piedade ungia,
falava o padre ao crente do Alcorão,
que no leito de morte se estorcia:
– “Implora de Jesus a compaixão”.

“Deixa Mafoma, ó filho da heresia,
e abraça a sacrossanta religião
do que morreu por nós...” E concluía:
“Se te queres salvar morre cristão.”

Ao filho de Jesus, o moribundo,
Ergueu o olhar esbranquiçado e fundo,
onde da morte já descia o véu.

Mas logo se estorceu na ânsia extrema
e ao ver da redenção o triste emblema,
ruge expirando: “Alá nunca morreu”.

Augusto de Lima.

http://www.biblio.com.br/conteudo/biografias/augustodelima.gif

Antônio Augusto de Lima nasceu em 05 de abril de 1859 no engenho de mineração de ouro Califórnia, em Congonhas de Sabará, hoje cidade de Nova Lima, e fez os estudos preparatórios no Seminário de Mariana, no Colégio do Caraça e no Liceu Mineiro em Ouro Preto. Mudou-se para São Paulo para estudar Direito, onde graduou-se pela Faculdade de Direito de São Paulo em 1882, e serviu depois no ministério público e na magistratura de Minas. Entre 1878 e 1882, iniciam o Augusto de Lima, Raimundo Correia e Afonso Celso“filosofismo poético”, publicando versos no jornal “A Comédia”, além de formar um grupo que fundou a Revista de Ciência e Letras. Foi chefe de polícia, governador provisório de seu Estado, diretor do Arquivo Público Mineiro e deputado federal de 1910 até 1934, quando faleceu em 22 de abril. Era da Academia Brasileira de Letras.

Fonte: “Poesia Parnasiana” Antologia – Edições Melhoramentos – 1967.

11 comentários:

Helô Strega disse...

Gosto de vir aqui beber de sua cultuta literária. Estrenho que o que é triste fica quando se apresenta ao mundo em forma de poesia, não é que num seja triste, mas acho que a poesia da um resignificado a tudo.
Te gosto muito, Furtado!
2 beijos!!!!

Valéria disse...

Evangelho e alcorão? pela poesia vejo que é possível o diálogo entre cristãos e muçulmanos.

BeijooO

Everson Russo disse...

Sempre há de haver união entre os conceitos e povos...abraços amigo eum belo dia pra ti.

Livinha disse...

Diante da Fé, as dores se amenizam, o pensamento adentra a razão e a compreende... e esse corpo recebe a passagem e segue por entrega a consciência...

Lindo texto meu amigo querido,
belo exemplo de força neste poema de Augusto de Lima.

Não sei se tens um livro de grandes poetas, não sei se vasculhas tão bem a internete, ou no fim de tudo, se a internete te leva à alma intuitiva, tão belas essências. De um jeito ou d'outro é "coisadelouco." Parabéns Furtado!
Bjs
Livinha

Wanderley Elian Lima disse...

Olá meu amigo pesquisador. É bom passar por aqui e aprender um pouco mais com você. Obrigado por compartilhar.
Abração

Sonhadora disse...

Muito lindo e elucidativo este texto.
Gosto de passar por cá ,sempre aprendo mais coisas.

beijinhos
Sonhadora

EMOÇÕES disse...

Oi!
É sempre muito bom passar por aqui.
Teu Blog está belíssimo!
Parabéns pelas postagens!
Beijos....

Helô Müller disse...

Bela e significativa escolha, como sempre, amigo!!
Respeito às crenças alheias, sempre, afinal todas levam a Deus...
Beijão, querido!
Helô

Felina Mulher disse...

Vc sempre nos trazendo belos poemas...este eu não conhecia e te agradeço a partilha. Deus existe sim, claro que sim!


beijos meu anjo!

reltih disse...

muy reflexivo tema.
un abrazo

Maria Bonfá disse...

achei maravilhoso..parabens pela escolha..beijão

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...