sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Interrogação.

http://img.blogs.abril.com.br/1/tenho7estrelasnomeumundo/imagens/noite-estrelada.jpg

INTERROGAÇÃO

Contemplo a noite: a cúpula estrelada
do firmamento sobre mim palpita;
meu olhar, que a interroga, embalde fita
o olhar dos astros, que não vêem nada:

“Nessa amplitude lôbrega e infinita
que inteligência ou força inominada
numa elipse traçou a vossa estrada,
estrelas de oiro, que o mistério habita?

Dizei-me se, transpondo a imensidade,
alguma cousa a vós minha alma prende,
um vínculo de amor ou de verdade.

Dizei-me, o fim da nossa vida agora:
para que serve a luz que em vós resplende,
e a oculta mágua que em meu seio mora?...”

Júlia Cortines.

http://www.guiarb.com.br/imgs/riobonito/percortine.gif
Júlia Cortines Laxe nasceu em Rio Bonito, na província do Rio de Janeiro, em 12 de dezembro de 1868. É considerada uma das mais vigorosas poetisas fluminenses do século passado, comparada às ilustres Narcisa Amália e Ibrantina Cardona. Com pouco mais de 20 anos começou a publicar suas obras, e, em 1894, seu livro intitulado "Versos" alcançou algum sucesso. O segundo, "Vibrações", lançado em 1900 constituiu-se numa revelação para o famoso crítico literário José Veríssimo, que afirmou na época: "Os poemas de Júlia Cortines distanciam-se magnificamente da poesia de água-de-cheiro e de pó-de-arroz da musa feminina brasileira, e revelam em Júlia, mais que uma mulher que sabe sentir, alguém que sente com alma e coração e de forma que disputa primazias com nossos melhores poetas contemporâneos." Faleceu no Rio de janeiro, em 19 de março de 1948.

Fontes: “Poesia Parnasiana” Antologia – Edições Melhoramentos – 1967 e Wikipédia.

12 comentários:

Helô Strega disse...

Não conhecia esta poetisa. Obrigada por me apresentar, pois amei o a sensibilidade dela na escrita deste poema.

By H. Strega

Confesso disse...

Querido Furtado...

Seu espaço sempre nos tráz novidades, adoro estar aqui. Um lindo poema esse que escolhestes.

Um bom fim de semana para tí...

beijos confessos

Everson Russo disse...

Belissimo poema,,,tudo nessa vida é uma interrogação, a propria vida o é,,,,e vamos seguindo sem respostas e procurando a serenidade...abraços e um belo final de semana.

Rosemari disse...

Rosemildo

Que delícia de postagem. Um poema cheiroso que perfuma nossa alma como sempre quiz a poetisa.
Adorei!!

REGGINA MOON disse...

Furtado,

Contemplo a noite: a cúpula estrelada do firmamento sobre mim palpita;meu olhar, que a interroga, embalde fita o olhar dos astros, que não vêem nada:

(...)

A noite, por vezes, nos faz pensar em nossas vidas e questionar o porque das coisas, principalmente os Poetas, a noite e seus mistério gerando as interrogações humanas...

Grande beijo e ótimo final de semana!

Beijos,

Reggina Moon

Stella Tavares disse...

Querido Rosemildo
Parabéns por esta iniciativa de compartilhar lindos poemas e enriquecer nossos conhecimentos sobre o autor e sua obra.
Bjs

Fatima disse...

"Os poemas de Júlia Cortines distanciam-se magnificamente da poesia de água-de-cheiro e de pó-de-arroz da musa feminina brasileira, e revelam em Júlia, mais que uma mulher que sabe sentir, alguém que sente com alma e coração e de forma que disputa primazias com nossos melhores poetas contemporâneos."

Sempre muito bom conhecer novos escritores.
Gostei muito da definição.
Bjs.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Rosemildo
Belo poema cheio de lamentos em forma de interrogações. Parabéns pela escolha.
Forte abraço

Clecilene Carvalho disse...

Muito bom vir aqui, além da oportunidade de deleitar um lindo poema, ainda aprendo.

Bom final de semana.

Livinha disse...

Furtado, como é bom os poemas que trazes aqui neste teu recanto e por este eu digo, quão encanto retratando nossos espaço infinito acrescentando ainda a tão linda narrativa da poeta inspiradíssima, tenho que dizer frase tão por todos conhecida: Na vida existem razões, que a propria razão desconhece...

Maravilhoso!

Bjss
Feliz Fds...

Valéria disse...

É bom sempre passar por aqui, adorei e conheci mais uma poetisa Júlia Cortines ...BeijooO

AFRICA EM POESIA disse...

Rosemildo


A Amizade é mesmo assim...
não tem cor...
mas todos sentimos... Qu verde é Esperança e é a própria natureza...que nos cerca quanto mais verde mais...pura...

Obrigada poe existires no meu espaço...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...