sábado, 7 de novembro de 2009

Das cousas do mundo.

http://www.radarsul.com.br/barravelha/imagens/predras_brancas1.jpg

RESPOSTA A INSTABILIDADE DAS COUSAS DO MUNDO

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
depois da Luz, se segue a noite escura,
em tristes sombras morre a formosura,
em contínuas tristezas a alegria.

Porém, se acaba o Sol, por que nascia?
Se é formosa a luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no Sol, e na luz falta a firmeza,
na formosura não se dê constância,
e na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,
e tem qualquer dos bens por natureza
a firmeza somente na inconstância.

Gregório de Matos.
(1633-1696)
Poesia Barrôca

10 comentários:

Emoções disse...

Boa noite Rosemildo!
Parabéns pela escolha.
Gosto muito das poesias de Gregório De Matos, poeta baiano.
Aproveito a visita para lhe desejar um ótimo domingo.
Abraços cheios de emoção.

M@ria disse...

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
depois da Luz, se segue a noite escura,
em tristes sombras morre a formosura,
em contínuas tristezas a alegria.

Nossa realidade do dia adia meu amigo.........é a Vidaaaaa

Beijos prá ti.



Ser o avesso das coisas não é o fim,
tanto faz agora pra nós...
Eu tentei lutar e cai vencido,
prostrado aos pés da poesia
Esquecido, fiz da dor melancolia...
Não prometa nunca o mundo,
se você não é capaz
de ofertar o chão da tua casa,
é como o bater de asas...
Uma constante, um sono profundo...


Bom Domingo!!

Ana Martins disse...

Belo soneto, grata pela partilha!

Beijinhos,
Ana Martins

Sirlei Passolongo disse...

Boa noite Rosemildo!

Sou muito grata por suas visitas, mas confesso que naum sei nada de blog, mal consigo postar, se observar verá q demorooo, pois não consigo se quer formatar meu blog como vejo alguns por aí...
queria por musica, naum consigo, queria mudar imagens, deixá-lo mais bonito...]seguir? naum sei ainda como fazer certo, mas obrigada

volto com calma pra ver tudo aqui..ok

Andresa disse...

Um lindo soneto amigo. O sol nasce e so dura um dia, depois somos presentiados com a escuridão da noite, fria e triste....Mas tudo tem seu equilibrio. Do que valeria a vida somente de sol iluminado? Não dariamos tanto valor aos raios do sol, se não conhecemos a escuridão!

Um grande abraço amigo
Bjs
Andresa

angela disse...

Esse poema é muito bonito e indaga sobre duvídas existenciais doloridas.
Obrigada pela visita e pelo seu comentário.
Parabéns pelo blog.
beijos

daufen bach. disse...

Olá meu caro amigo!
depois de alguns dias afastado por motivos de trabalho e, ainda, fazendo a editoração de um livro, estou de volta. vim agradecer os amigos que estiveram em meu blog durante esse período de ausência minha. Obrigado viu!

Abraço forte a ti.

daufen bach.

Livinha disse...

Não seria lágrimas dada as incertezas, dos agrados dados
e não satisfeito, ao ser humano?
esse choro abarrotado aos desenganos, é retrado falado no coração humano...
Somos espelhos do espelho,
de natureza inconstante,
domesticaveis, mutaveis ao constante...
condicionados ao toma lá e me da cá,
eis a natureza interessante...

Gregório de Matos, maraviulhoso poemas exalados por ele...
Sempre belas escolhas meu amigo...

Linda semana pra ti e mta alegria
constante, junto aos teus amores...
Grde abraço!

marianna furtado :T disse...

Vô,
saudades imensas do senhor.
beijo a todos, um bom domingo.
abraços, te amo.

Helô Müller disse...

Que coisa boa poder reler Gregório! Nada é mais certo nesta vida "de que nada é certo"...
E viva a "Inconstância", pois não há outro jeito !! O Poeta sabia das coisas, e como sabia... rs
Beijos, amigo, e uma bela semaninha procê!!
Helô

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...