segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Adjetivado.

ADJETIVADO
http://1.bp.blogspot.com/_kQ7nhKJAYec/R-DDm3HnC3I/AAAAAAAAADM/3fbeH33EsyE/s400/orgulho_e_preconceito_filmes_2005_wallpaper_ccr_04_800_4.jpg

Para este teu orgulho brutegrado,
Que dá-te esta aparência zelifrina.
Eu tenho o meu poder iscanzigrado,
E minha indiferença tevroprina.

Com este teu desdém quecalibrado,
Que tu levas na vida mesifrina.
Somente em teu viver legratofrado,
Colherás ironia quitoprina.

Não te iludas não sou um trasterito,
Que se curva ao teu ódio apristoprinho,
Que nota em teu olhar retrocabrito.

Pois se eu quiser num dia siluplano,
Vencerei teu orgulho quetofrinho,
Apenas com um beijo zetrofeno.

R.S. Furtado.

15 comentários:

REGGINA MOON disse...

Rosemildo Poeta,

Esse poema é realmente bem "adjetivado"...muito interessante, adorei!!!

Só uma alma poeta para dominar as palavras...parabéns!

Beijos,

Reggina Moon

Gislãne disse...

hehe
INTERESSANTE. gostei muito
:*

tai do nascimento disse...

eu não gosto de comentários assim, mas agora eu me perdoo. haha

ADOOOREI!

:D

Confesso disse...

Nossa... Você me pôs atucanada a entender seus adjetivos...

Linda imagem, um dos filmes que mais gosto "Orgulho e preconceito"

Adorei...

Beijos adjetivados...

Andresa disse...

Dominio em portugues inigualavel...
Fui obrigada a ler mais de uma vez...rsrssr....e ainda estou encantada com sua criatividade.

Expetacular

Andresa Araujo

EDUARDO POISL disse...

De tudo ficaram três coisas...
A certeza de que estamos começando...
A certeza de que é preciso continuar...
A certeza de que podemos ser interrompidos
antes de terminar...
Façamos da interrupção um caminho novo...
Da queda, um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro!

Fernando Sabino

Hoje passei pra deixar um poema para refletir e desejar uma semana linda com muito amor e carinho.
Abraços.

Barbara disse...

Boa a idéia mas é só para a sua musa compreender?
Se não, vou ao dicionário.

Livinha disse...

Menino Furtado,
apoderaste do alfabeto,
que virada!
os miolos de Livinha
deu um baita de um revestres
mas não perdi a linha,
matei toda tua charada...
Se não fosse meu micaelis,
diacho não teria compreendido
mas o meu computador, o dito,
tbém conhece da miseria, adjetivos
O olhos de Livinha, entraram no estrabismo
a lígua deu um nó, na pregação,
a cabeça de toda não perdeu o tal juízo
e o apetitto de dna Lívia,
não recusou a refeição...
Não sei se estou maravilhada
ou emprego o abobada a mim então,
adorei o teu poema
fiquei extasiada de emoção...

parece a repemboca da parafuseta
pois não?
Taí, devolvi todas as tuas baboseiras lá de casa... rsrss

Bjss
e tenha um Bom Dia!!

Doroni Hilgenberg disse...

Rosemildo,

Independente dos novos adjetivos, com novos sentidos em nosso famigerado português, esse é um SONETO soberbo.
Eu ri, e fiquei matutando...
a indiferença e o orgulho não nos leva a nada enquanto com um beijo alcançamos o céu.
bjs

LadyButerfly disse...

Olá amigo...

Só para te deixar beijoka e agradecer todos o comentários!;)

AFRICA EM POESIA disse...

rosemildo

mas além da saudade

é a angustia da distância...


Beijos

Gostei da tua POESIA...

Renata Braga disse...

Nossa!

Adorei!

Orgulho e Preconceito! Minha história, minha vida!

Bejosss

Marina-Emer disse...

buen fin de semana y buenas noches
besos
Marina

Lucy disse...

Muito interessante Rosemildo rsrs
e diferente.


beijos,

Lucy

Daniel Cristal disse...

Da poesia também faz parte a inovação da palavra, o neologismo.
Que se refira a propósito Luís de Camões, a quem tanto a Lìngua deve.
Parabéns, e bom domingo, gostei de tudo,
DC

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...