segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Empresariado brasileiro

O DESEMPREGO

Em 1998, morávamos eu e minha família em Recife, pois eu havia sido convidado por um amigo, para ajudá-lo na administração da empresa que ele fundara há alguns anos atrás.

Nessa época, o país estava atravessando uma fase bastante difícil, em função da escassez de mão-de-obra especializada, pois os empresários somente admitiam empregados com um ou mais anos de experiência.

Daí veio-me a ideia de escrever um artigo, conforme abaixo, (Publicado no Jornal do Commércio, edição do dia 12-04-98) com a finalidade única e exclusiva de alertar o empresariado brasileiro, pois, quem sabe, hoje, não estaríamos na situação em que estamos com relação ao desemprego.


EMPRESARIADO BRASILEIRO

Atualmente, o empresário brasileiro ao contratar alguém para assumir uma determinada função, a principal exigência é a experiência profissional um, dois ou mais anos, comprovada na carteira de trabalho.

Antigamente era bem diferente. As empresas brasileiras, bem como as multinacionais, quando da seleção de pessoal, tinham como prioridade, a formação moral, em seguida, a formação moral e a boa aparência, depois, a formação moral, a boa aparência e a experiência do (a) candidato (a), pois a primordial qualidade do (a) candidato (a) partia dos seus procedimentos morais. Após a seleção, as empresas investiam no treinamento, a fim de moldar o candidato (a), conforme as normas e preceitos da empresa.

A meu ver, não adianta a empresa ter no seu quadro de pessoal, um funcionário dotado da mais alta experiência e boa aparência, sem as mínimas condições morais de conviver numa empresa ou sociedade.

Apreciaria muito, saber qual o futuro que se nos apresenta, se o jovem de hoje não é contemplado com uma oportunidade de trabalho, visto que, somente os experientes são agraciados com essa premiação.

Alerto aos Srs. Empresários que, além de inflacionar a mão-de-obra, estão impedindo a formação de novos profissionais, pois hoje, aqueles que ocupam um cargo ou função em qualquer segmento empresarial, todos sem exceção, um dia, por morte, invalidez ou outro motivo qualquer, terão de se afastar. Portanto, gostaria de saber qual a solução que o empresário brasileiro terá para suprir essa lacuna, pois, no futuro, vamos ter, nada mais, nada menos, que um verdadeiro contingente de inexperientes que, quando jovens, não tiveram a tão necessitada oportunidade para obtenção da experiência, hoje tão falsamente denominada de “FATOR ESSENCIAL”.

R.S. Furtado

2 comentários:

Priscilla Valdragon disse...

você levantou uma questão de extrema importancia!
é verdade que algumas empresas ja despertaram para isso, e ate buscam funcionarios jovens que ainda nao tenha vícios provenientes de empregos anteriores.
mas ainda é uma realidade triste a falda de oportunidade para pessoas como eu.
Priscilla, 21 anos, entudande, a procura do primeiro emprego.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Além do artigo que escreví, criei também um projeto chamado PROGRAMA PRÓ EMPREGO "PROEMP", inclusive o mesmo já foi enviado para o presidente Lula e para o senador Paulo Paím. Em breve estarei postando o mesmo na íntegra.

Abraços,
Muito obrigado pela visita e volte sempre. Será um grande prazer.

R.S.Furtado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...